As chuvas da quadra chuvosa no primeiro semestre de 2021 ficaram 15,4% abaixo da média histórica. — Foto: Gioras Xerez/G1CE

Os municípios de Monsenhor Tabosa (Vale do Jaguaribe) e Pedra Branca (Sertão Central) estão em situação crítica e outras nove precisam manter a reserva atual até a próxima quadra chuvosa. A informação é da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).

Nestas duas cidades, a Cogerh providenciou a perfuração de poços e a visita de carros pipas. Cidades como Aquiraz e Guaiuba na Região Metropolitana de Fortaleza como também Tauá, no Sertão dos Inhamuns devem manter suas fontes de água até a próxima quadra chuvosa que deve começar no início de fevereiro.

A Cogerh monitora 155 açudes e a situação hídrica do Ceará se encontra abaixo dos 25%. O Governo do Estado informou ainda que existe um comitê que monitoria a situação dos principais reservatórios do estado e que regiões mais críticas são visitadas por profissionais do órgão quinzenalmente.

Municípios em risco crítico de desabastecimento

Risco crítico de desabastecimento Devem manter suas reservas atuais
Monsenhor Tabosa Acarape
Pedra Branca Alto Santo
Aquiraz
Araripe
Campo Sales
Guaiuba
Icó
Mombaça
Tauá

Situação de emergência por seca e estiagem

 

No início de outubro, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, do Governo Federal, reconheceu que 40 cidades cearenses em situação de emergência por seca e estiagem.

Conforme o Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, a estiagem é um período prolongado no qual há ausência ou baixa incidência de chuvas, com perda de umidade de solo. Já a seca é um período de tempo seco, prolongado e que causa desequilíbrio hidrológico.

Entre as cidades cearenses, oito estão em situação de emergência por seca e 32 municípios são por conta da estiagem.

Com a publicação do reconhecimento federal, os municípios afetados por desastre natural podem solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para ações voltadas ao socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais, e de reconstrução de infraestrutura atingida pelos desastres.

Com base nas informações enviadas por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD), a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do valor a ser liberado.

Nordeste Notícia
Fonte: SVM

       
Curta nossa página!
   
Envie sua notícia, clique na imagem!