Força Nacional chegou ao estado no início do mês para ajudar a conter a crise na segurança. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Ceará contabiliza as primeiras 24 horas sem ataques criminosos, após 28 dias consecutivos de destruição de patrimônios públicos e privados, incêndio a ônibus e explosão de bombas. Até as 11h desta quinta-feira (31), não houve relatos de ataques registrados desde a quarta-feira (30).

A onda de violência teve início no dia 2 de janeiro, após declaração do secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, de que endureceria as políticas do sistema prisional no Ceará. Ao todo, foram 282 ocorrências em 56 municípios do estado, até o dia 29 de janeiro.

As últimas ocorrências foram registradas na terça-feira (29). Em Fortaleza, um ônibus de transporte urbano, da linha 628 – Sítio São João/Santa Maria foi incendiado. Já em Maracanaú, na Região Metropolitana, o caminhão de uma pedreira foi incendiado no galpão do estabelecimento.

Na segunda-feira (28), suspeita de artefatos explosivos mobilizou a Polícia e o Esquadrão Antibombas, mas o perigo foi descartado. Uma mala encontrada no cruzamento da Avenida Santos Dumont com a Rua Rodrigues Júnior, no Centro de Fortaleza, estava vazia. Não é a primeira vez que esse tipo de ocorrência é registrada. Já foram encontrados materiais suspeitos em terminais de ônibus e até em um supermercado. Todos alarmes falsos.

Para auxiliar as forças de segurança do Estado, o Governo do Ceará solicitou ao governo federal o apoio da Força Nacional, que enviou mais de 400 agentes e policiais federais. Além disso, também pediu ajuda da polícia de estados nordestinos, como Bahia e Piauí. Agentes da área de Inteligência de São Paulo e Santa Catarina também foram acionados.

Foi autorizada nesta segunda-feira (28), pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, uma Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) no estado por 45 dias, a partir de 14 de fevereiro. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União.

Ataques

Até as 8h da quarta-feira (30), o Sistema Jangadeiro contabilizou 282 ataques em 56 dos 184 municípios do estado, sendo 133 em Fortaleza, a cidade que concentra a maior parte das ações criminosas.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), há um total de 466 pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O balanço corresponde às capturas até as 7h desta quinta-feira (31). O órgão não está informando a contabilização dos números de ataques.

Nordeste Notícia
Fonte: Tribuna do Ceará

Comente com Facebook