Duas operações simultâneas contra membros de facções criminosas com atuação na Região Metropolitana de Fortaleza estão cumprindo 85 mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em oito municípios cearenses nesta quarta-feira (11). Parte dos mandados são direcionados a internos dos sistemas penitenciários estadual e federal.

As Operações Banguê e Saratoga/Pacajus investigam casos de tráfico de entorpecentes e crimes relacionados. Dos 85 mandados expedidos, 44 são de prisão preventiva e 41 de busca e apreensão.

PUBLICIDADE

A polícia descobriu que líderes dos grupos investigados contavam com auxílio de parceiros criminosos que atuavam como gerentes das “bocas” de tráfico, como “correrias” (soldados do tráfico) e “laranjas” (forneciam suas contas bancárias para a movimentação do dinheiro escuso).

Além disso, havia executores de outras ações, como homicídios, ameaças e assaltos, que garantiam a “tranquilidade” e o angariamento de fundos para os negócios ilícitos, informou o Ministério Público do Ceará (MPCE).

Mandados
Fortaleza: 05 mandados de prisão preventiva e 05 mandados de busca e apreensão;
Pacajus: 10 mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão;
Boa Viagem: 02 mandados de prisão preventiva e 02 mandados de busca e apreensão;
Quixeramobim: 01 mandado de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão;
Ipu: 01 mandado de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão;
Barreira: 01 mandado de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão;
Limoeiro do Norte: 01 mandado de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão;
Pacatuba: 01 mandado de prisão preventiva e 01 mandado de busca e apreensão.

Outros 19 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão são cumpridos no sistema penitenciário estadual, e três mandados de prisão preventiva no sistema penitenciário federal.

O trabalho é feito pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), órgão do Ministério Público do Estado do Ceará, com apoio da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (COIN), do Departamento Técnico Operacional da Polícia Civil (DTO), da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Administração Penitenciária (COINT) e do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN).

Comente com Facebook