Eliene Viana trabalhava como costureira de uma empresa em São Benedito, no Ceará — Foto: Arquivo pessoal

Uma costureira de 39 anos foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro durante uma “fogueira”, comemoração típica do período junino na cidade de São Benedito, na região Norte do Ceará. De acordo com a Polícia Militar, o filho e a irmã da vítima também ficaram feridos.

O casal estava separado há cerca de três meses, mas o homem não aceitava a separação. A polícia trata o caso como feminicídio. A mulher foi identificada como Antônia Eliene de Oliveira Viana, de 39 anos.

Segundo a polícia, o suspeito, identificado como Ricardo Vasconcelos, de 40 anos, discutiu com a vítima e os dois iniciaram uma briga. Familiares tentaram ajudar Eliene, mas foram atingidos. Durante a confusão, o suspeito esfaqueou o filho dela, de 19 anos, e a irmã, que comemorava o aniversário de 31 anos.

“Ela era uma mulher trabalhadora. Vivia para os filhos dela. Estava trabalhando para fazer uma casa para ela morar com a família. Era uma mulher que estava sempre na igreja. Todos gostavam muito dela, pois era educada”, lamentou um familiar, que não quis se identificar. Segundo a parente, a vítima foi atingida com 12 facadas.

Os feridos foram levados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Benedito. A costureira também chegou a receber atendimento médico, mas não resistiu e morreu.

Após o crime, moradores da cidade incendiaram a casa do suspeito em represália ao assassinato. A residência ficou destruída.

Ricardo Vasconcelos foi preso em flagrante e levado para a Delegacia Regional de Tianguá, onde foi autuado pelo crime. Ele estava escondido em um matagal, mas ligou para o pai levar a polícia até onde ele estava, e se entregou.

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook