Um vereador foi preso, na madrugada desta quinta-feira (16), de forma preventiva, suspeito de atrapalhar uma investigação contra os crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro em Mucambo, Região Norte do Ceará. A prisão faz pate da terceira fase da Operação Sales que investiga um suposto esquema de fraudes em licitações na locação de veículos para a prefeitura do município.

G1 entrou em contato por telefone com o vereador, mas as ligações não foram atendidas. A Câmara de Mucambo também não se pronunciou sobre o ocorrido até a publicação desta matéria.

De acordo com os investigadores, o vereador André Luis de Sousa Gonçalves era ex-secretário do ex-prefeito de Mucambo e estava sendo investigado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) através da Operação Sales. O ex-gestor municipal também foi preso em uma ação do MPCE em novembro de 2018.

O mandado foi expedido pela Justiça do Ceará e cumprido por policiais da Delegacia de Pacujá e promotores do Grupo de Ações Especiais de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Segundo as investigações, o vereador era o responsável pela “regularização” da documentação dos veículos adquiridos pela prefeitura. Gonçalves é suspeito de fazer a transferência dos veículos para outras pessoas de forma irregular e atuava como “braço” de confiança do ex-prefeito, que de acordo com os promotores de Justiça, chefiava o esquema criminoso.

O vereador teve a prisão preventiva decretada por não colaborar com as investigações sobre o suposto esquema criminoso. Ele foi conduzido para o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito e em seguida deverá ser encaminhado para a delegacia.

Operação Sales

A primeira fase da Operação começou no dia 22 de novembro de 2018 e, na época, foram cumpridos 28 mandados de busca e apreensão nas cidades de Mucambo, Sobral, Fortaleza, Pentecoste, Pacujá, Ubajara e Graça, bem como quatro mandados de prisão, sendo duas prisões preventivas e duas prisões temporárias.

A operação contou com a participação de 12 promotores de justiça e cerca de 100 policiais civis.

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook