O Ministério Público do Ceará (MPCE) realizou uma operação que desarticulou um esquema de lavagem de dinheiro comandado de dentro dos presídios do estado. Segundo o órgão, o grupo criminoso também envolvia várias pessoas que serviam como “laranjas”.

O MPCE afirmou que o chefe do grupo, um ex-detento da CPPL 5, em Itaitinga, movimentou mais de R$ 4 milhões em um ano e meio com a compra de apartamentos, carros e contas bancárias. Ele comandava o serviço de aplicação de golpes por meio de telefones celulares de dentro da cadeia.

Participaram da operação o Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc) e a Polícia Civil.

O Ministério Público acrescentou que mais detalhes sobre a operação e o funcionamento da organização serão fornecidos durante uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (17).

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook