Previsão da Funceme para os próximos dois dias é de tempo nublado e de chuva em todo o Ceará. — Foto: João Mendes Campos/Arquivo Pessoal

Após seis dias com poucas chuvas, o Ceará voltou a ter condições favoráveis às precipitações. No que se refere às chuvas entre as 7h de quarta-feira (8) e as 7h de quinta-feira (9), a rede de observadores da Funceme já informou registros em, pelo menos, 85 municípios. Última vez que o Estado computou chuvas em todas as regiões foi no dia 2 de maio.

Os principais acumulados foram em Iracema (64 mm), Ipueiras (48,3 mm), Ararendá (37 mm) e Forquilha (30 mm). Os dados são preliminares e serão atualizados ao longo do dia. As chuvas das últimas 24 horas concentraram-se nas regiões da Ibiapaba, Litoral Oeste e Sertão Central e Inhamuns.

Nebulosidade com chuvas isoladas

PUBLICIDADE

O Ceará terá céu nublado com eventos de chuva no litoral, no Maciço de Baturité e na Ibiapaba nesta quinta-feira (9), segundo previsão do tempo confirmada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Nas demais áreas, a indicação é de nebulosidade variável com chuvas isoladas.

Conforme já havia sido indicado no início desta semana, as condições atmosféricas estariam mais favoráveis entre a última terça (7) e quarta-feira (8). Na ocasião, houve registros de precipitações em mais de 30 municípios. O cenário se deu pelo retorno da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) para mais próximo da costa norte do Ceará, além de uma maior umidade sobre o território do estado.

Ao longo desta quinta, a cobertura de nuvens será contínua nas macrorregiões mais ao norte do Ceará, com chuvas atingindo mais da metade da área sobre previsão. Já nas outras, o céu terá momentos mais claros e precipitações de 20% a 50% do território.

Para esta sexta-feira (10), a previsão é de eventos de chuva no centro-norte. No sul, nebulosidade variável com possibilidade de chuva, ou seja, com as áreas do sul menos favoráveis em relação às do norte do Ceará.

Situação dos principais açudes

Os maiores açudes do Ceará, no entanto, seguem em situação crítica. O Castanhão, principal reservatório a abastecer a Grande Fortaleza, tem apenas 5,52 % da capacidade máxima. Já o Orós, segundo maior açude do estado, tem 9,15% do volume máximo.

Comente com Facebook