Image-0-Artigo-2339549-1
Jijoca de Jericoacoara está entre os destinos mais procurados para janeiro, com taxa de ocupação de 95% de sua rede de hospedagem ( FOTO: GENTIL BARREIRA )

O Ceará irá receber 48,1 mil turistas a mais nestas férias, considerando o período de 15 de dezembro de 2017 até 31 de janeiro de 2018 em comparação a igual período de 2016/2017. De acordo com a Secretaria do Turismo do Ceará (Setur), 825 mil turistas devem visitar o Estado via Fortaleza. Esse número representa um crescimento de 6,2% em relação à alta estação anterior (776,8 mil).

O crescimento no número de turistas internacionais será maior do que o projetado para os nacionais. Na alta estação 2017/2018, serão 68 mil visitantes estrangeiros no Estado, alta de 10,5% em relação ao período anterior (61,5 mil). Em relação aos turistas nacionais, a Setur projeta alta de 5,8%, de 715,3 mil para 757 mil. A pasta atribui as altas de turistas ao trabalho de divulgação do Estado em feiras nacionais e internacionais, realizado juntamente com o trade turístico, além de divulgação do Ceará em mídias publicitárias.

Neste ano, a Setur investiu R$ 27,3 milhões em promoção e publicidade. “O crescimento no número de turistas e na atração de novos voos é resultado direto desse trabalho”, diz o titular da pasta, Arialdo Pinho.

d
Guaramiranga também está entre os lugares preferidos dos turistas para o próximo mês, com ocupação de 90%, de acordo com a Setur

Gastos

O gasto médio a ser realizado por cada um dos turistas (per capta) durante esta alta estação é de R$ 2,5 mil. O número está 5,3% maior que as férias anteriores (R$ 2,4 mil).A receita turística, total de gastos a ser realizado pelos visitantes do Estado, é projetada em R$ 2,1 bilhões, avanço de 11,9% frente ao período de 2016/2017 (R$ 1,8 bilhões). A renda gerada para a cadeira turística do Estado é estimada em R$ 3,6 bilhões, o que também representa uma alta de 11,9 % em relação ao número anterior (R$ 3,2 bilhões).

Ocupação

Do total de turistas que virão ao Estado via Fortaleza nesta alta estação, 432 mil irão se hospedar na rede hoteleira da Capital, incluindo hotéis, pousadas, flats e albergues. O número representa um avanço de 5,6% em relação às férias anteriores (409 mil). A oferta de unidades habitacionais (apartamentos) da rede da Capital se manteve estável (0,2%), em 11,6 mil.

A taxa de ocupação hoteleira de Fortaleza deverá saltar 8,4 pontos percentuais nesta alta estação em relação à anterior, passando de 79,7% para 88,1%. Entre os segmentos de hospedagem na Capital, as pousadas demonstraram o melhor desempenho para o mês de janeiro, com 90,4% de ocupação. Para o Réveillon, os flats se sobressaem, com 99%.

Dentre os destinos com maiores taxas de ocupação para a virada do ano, estão Canoa Quebrada (97,5%), Jijoca de Jericoacoara (96,1%) e Cumbuco (94,3%). Jijoca também está entre os destinos mais procurados para o mês de janeiro (95%), assim como Guaramiranga (90%) e Porto das Dunas/Prainha (85,2%).

Passageiros

Segundo a Setur, a movimentação no Aeroporto Internacional Pinto Marins durante esta alta estação será 5,3% maior em relação à de 2016/2017. O número de pessoas que passará pelo terminal deve subir de 1,1 milhões para 1,2 milhões. O aeroporto deve receber 445 voos extras nesta alta estação. Do total de operações, 20 são internacionais, de Buenos Aires, Porto e Lisboa. No mercado nacional, os voos extras chegarão de destinos como Belém, Recife, Teresina, São Paulo e Rio de Janeiro.

Próximo ano

“O bom resultado da alta estação antecede um ano que deve ser ainda melhor que 2017. Em 2018, teremos um aumento considerável de voos e, consequentemente, de turistas, o que movimentará toda uma cadeia econômica, impactando diretamente o PIB do Estado”, comemora o secretário Arialdo Pinho.

arte

       
Curta nossa página!
   
Envie sua notícia, clique na imagem!