A secretária de cultura de Uruburetama, no interior do Ceará, pediu para deixar o cargo após um caso envolvendo a interrupção da apresentação de uma quadrilha junina com inspiração no candomblé, no último domingo (19). Fernanda Carneiro teria chamado a apresentação de “macumba” e pediu para que o número fosse interrompido. A prefeitura informou a saída da gestora nesta quarta-feira (22).

“A secretária de cultura e turismo do município de Uruburetama, solicitou seu afastamento do cargo, alegando problemas emocionais. Assim, desde a referida data a ex-secretária não está mais à frente das funções da pasta da cultura desta municipalidade”, disse a prefeitura.

A Polícia Civil do Ceará informou que está apurando um possível crime contra o sentimento religioso contra a quadrilha junina Trem Maluco. O Ministério Público também disse que investiga o caso e deu um prazo de 10 dias para que a Prefeitura e a Secretaria de Cultura de Uruburetama prestem esclarecimentos.

Os participantes da quadrilha afirmam que a secretária de Turismo e Cultura da cidade, Fernanda Carneiro, mandou parar a apresentação alegando ser “macumba”, no momento em que os participantes se apresentavam de branco em homenagem à Santa Dulce, freira brasileira da Bahia.

A Polícia Civil disse que o caso está sob investigação pela Delegacia Municipal de Uruburetama. Já o Ministério Público apura o caso através da Promotoria de Justiça da Comarca da cidade.

Quadrilha com ala de baianas e batuque foi interrompida em Uruburetama — Foto: Divulgação

A Prefeitura de Uruburetama lamentou o ocorrido, se solidarizou com os membros da quadrilha Trem Maluco e pediu desculpas pelo episódio. A prefeitura também disse que “não compactua, enquanto entidade que preza pelo bem comum da sociedade e da cultura, com nenhum tipo de preconceito ou intolerância”. Fernanda Carneiro não foi encontrada para se manifestar sobre o caso.

O tema abordado pela quadrilha, segundo um dos participantes que prefere não ser identificado, era “Santa Dulce”. Eles abriam a apresentação com a música “Batuques” quando houve a interrupção. A secretária Fernanda Carneiro teria afirmado que o evento era católico, mas que “estava parecendo um terreiro de macumba”.

Comentários
   
Clique para entrar em contato.
 
Ajude-nos a crescer ainda mais curtindo nossa página!
   
Clique na imagem para enviar sua notícia!