Brasil e Chile sentiram bem as voltas que o mundo da bola pode dar nos últimos meses. Bicampeã da América, a equipe à época comandada por Jorge Sampaoli iniciou as eliminatórias sul-americanas vencendo a Seleção de Dunga, que por sua vez começou patinando a ponto de terminar a sexta rodada fora da zona de classificação para a repescagem. Com novos treinadores, chilenos e brasileiros vivem um momento completamente diferente neste início de segundo turno, que dá partida nesta terça-feira. E os números mostram bem isso…

Tabela chances de classificação para a Copa de 2018 (Foto: Infobola)

Desde aquela vitória sobre a seleção brasileira, há um ano, o Chile (treinado pelo espanhol Juan Antonio Pizzi desde a saída de Sampaoli, em janeiro) conquistou a Copa América Centenário, mas nas eliminatórias viveu tropeço atrás de tropeço. Tanto é que não venceu mais em casa desde então. Resultado: caiu para a sétima colocação, que não dá vaga nem mesmo na repescagem, e hoje tem apenas 25% de chance de ir à Copa do Mundo de 2018, segundo o matemático Tristão Garcia, do site Infobola.

O Brasil seguiu na direção contrária. Após a campanha frustrante na Copa América do Chile, onde caiu para o Paraguai nas quartas, voltou a fracassar na competição neste ano, caindo na primeira fase na edição centenária deste ano nos EUA. Nas eliminatórias, se viu ameaçado, sobretudo até a sexta rodada, quando empatou com o Paraguai. Depois, com a entrada de Tite no lugar de Dunga, a Seleção emplacou três vitórias seguidas, se consolidou na segunda colocação e virou o turno com 80% de chances de ir ao Mundial.

Neste momento das eliminatórias, apenas o líder Uruguai encontra-se com mais chances de ir à Copa do que o Brasil: 84%. Depois desse primeiro pelotão, Argentina (77%), Colômbia (51%), Equador (51%) e Paraguai (35%) ainda aparecem com mais chances de ir à Rússia que o Chile – Peru, Bolívia e Venezuela praticamente estão fora da briga. Os quatro primeiros colocados se garantem diretamente na Copa, enquanto o quinto disputa a vaga restante na repescagem contra o representante da Oceania.

Com mais nove rodadas pela frente, o Chile tem nova chance de se aproximar da Argentina, última seleção na zona de classificação para a Copa, em duelo contra o Peru, às 20h30 (de Brasília), em Santiago. Um tropeço, entretanto, será um doloroso golpe para as pretensões da equipe de Juan Antonio Pizzi.

Na tentativa de tirar a liderança do Uruguai, o Brasil visita a lanterna Venezuela em Mérida às 21h30. A Celeste, por sua vez, faz jogo duro com a Colômbia em Barranquilla às 15h30, enquanto a Argentina duela com o Paraguai em Córdoba às 20h30. Bolívia e Equador completam a rodada, às 17h, em La Paz.

Fonte: Globo.com

Comentários
   
Clique para entrar em contato.
 
Ajude-nos a crescer ainda mais curtindo nossa página!
   
Clique na imagem para enviar sua notícia!