Uma das maiores empresas de e-commerce do mundo, a Amazon atua em vários segmentos ( FOTO: REUTERS )
Uma das maiores empresas de e-commerce do mundo, a Amazon atua em vários segmentos ( FOTO: REUTERS )

Conhecida por ser uma das maiores empresas de e-commerce do mundo, a Amazon, que também atua em diversos segmentos da área de tecnologia, pode investir em solo cearense muito em breve. É que atualmente o Governo do Estado, por meio da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), negocia com a multinacional norte-americana a chegada de programas educacionais de fomento ao empreendedorismo, que podem envolver até a implantação de um data center da empresa no Estado.

Segundo o diretor de segurança da informação da Etice, Pablo Ximenes, que na última quinta-feira (2) se reuniu com a vice-presidente global da Amazon Web Services (AWS), Teresa H. Carlson, em São Paulo, o foco da parceria entre o Estado e a empresa norte-americana seria o serviço de nuvem, ou seja, a entrega sob demanda de recursos de TI e aplicativos pela internet, com modelo de definição de preço conforme a utilização. “Em julho ou agosto vamos nos reunir novamente para tratar do assunto. Eles estão dispostos a investir e o Ceará desponta como forte candidato”, ressalta.

PUBLICIDADE

Para Ximenes, caso a Amazon decida investir no Ceará, a empresa promoverá a criação de vários programas educacionais voltados ao empreendedorismo, firmando parceria com universidades locais. Além disso, a criação de um data center geraria um forte impacto no serviço cearense de nuvem, dando vantagem competitiva ao Estado.

“A Amazon ainda não levou este tipo de investimento para nenhum estado brasileiro. Se a parceria for concretizada, teremos um impacto significativo no nosso serviço de nuvem, que é algo bastante buscado pelas empresas hoje em dia, posto que otimiza os recursos de computação e barateia as operações de TI”, destaca o diretor da Etice.

Atrativos

Além do Ceará, outros estados têm interesse em contar com os investimentos da Amazon, mas, para Ximenes, uma série de diferenciais cearenses despontam como atrativos para a multinacional. “Somos privilegiados em alguns aspectos. O Ceará, por exemplo, é o hub de telecomunicações do Brasil, já que todos os cabos submarinos passam por aqui primeiro. Fora isso, temos uma malha de fibra ótica que percorre todo o Estado, que é o Cinturão Digital, além de uma indústria de energias renováveis bem desenvolvida e uma ZPE em funcionamento”, destaca.

Conforme Pablo, todos esses atrativos foram apresentados na reunião da última quinta-feira, em São Paulo, que também contou com o diretor administrativo da Amazon, Jeffrey Kratz, o gerente do setor de educação da Amazon Brasil, Cláudio Luiz Silveira, e o gerente do setor público, Michael Rodriguez.

Nordeste Notícia
Fonte: Diário do Nordeste

Comente com Facebook