Criança enviou mensagem para a tia pedindo socorro, afirmando que o padrasto estava brigando com ela e ameaçando quebrar seu celular — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Familiares de duas crianças denunciam que as meninas de 12 e 4 anos são maltratas pela mãe e o atual companheiro dela em uma residência em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. O pai registrou dois boletins de ocorrência denunciado agressões e maus-tratos o caso e espera a realização de uma audiência na Defensoria Pública para conseguir a guarda das filhas.

Em nota, a Polícia Civil informou que a Delegacia de Defesa da Mulher de Caucaia investiga a denúncia de maus-tratos contra as duas irmãs. Testemunhas são ouvidas e diligências estão em andamento para que o caso seja apurado, de acordo com a polícia.

PUBLICIDADE

Em mensagem enviada a uma tia pelo WhatsApp, ela pede “socorro” e diz que deseja sair da casa da mãe.

O Conselho Tutelar de Caucaia disse estar ciente do caso e afirmou que já houve uma tentativa de conciliação entre os pais da criança, mas eles não aceitaram as condições. Na ocasião, o pai levou as crianças para casa e a mãe recorreu à Justiça, que expediu um mandado de busca e apreensão das crianças. Desde então, o pai recorre da decisão e solicita a guarda completa das filhas.

Relatos de violência

 

Conforme o relato do pai no boletim de ocorrência, há cinco meses a ex-mulher começou a se relacionar com um homem que conheceu pela internet e aceitou que ele fosse morar na casa dela, onde também moram as duas filhas.

Desde então, ele e outras pessoas da família receberam relatos enviados pelas filhas informando que elas são maltratadas. As denúncias apontam que elas estão sem alimentação regular e sofrem agressões da mãe quanto do atual companheiro dela.

Solicitação da guarda das crianças

 

Ainda segundo familiares, o caso foi levado ao Conselho Tutelar do município, que chegou a ouvir a mãe, mas nada fez para que o problema fosse resolvido. O pai relata também que certa vez estava com as filhas na casa onde mora, passando o fim de semana com elas, quando foi “surpreendido” por oficiais de justiça que levaram as meninas de volta para a casa da mãe, mesmo contra a vontade delas e do pai.

Diante da situação, o pai, que está impedido de ver ou pegar as filhas para passar os fins de semana com elas, entrou na Justiça para pedir a guarda permanente das crianças.

O caso vai ser tratado nesta quinta-feira (22) em uma reunião virtual a ser realizada entre o pai e o defensor público que está acompanhando o caso.

Clique na imagem!