A história que iremos relatar está mais para uma ficção do que para realidade, porém o fato e verdadeiro e aconteceu no último domingo (14/02/20221) na cidade de Crateús, quando quatro homens procedentes da cidade de Tamboril, realizaram um arrombamento seguido de furto, quando os acusados se passando por pedreiros simularam uma reforma no comércio para poderem cometer o ato criminoso.

Segundo o que apurou a reportagem, um dos acusados (o mentor) teria ido ao comércio da vítima alguns dias atrás onde teria presenciado o comerciante guardando uma certa quantia em dinheiro no cofre do comércio.

PUBLICIDADE

Daí então o Tamborilense retornou para a su cidade e passou a arquitetar um furto para subtrairem o cofre, porém no domingo (14) o acusado resolveu colocar o plano em prática.

O homem teria alugado um carro na cidade de Tamboril, e pego um reboque na casa de um cidadão e reuniu outros três amigos e viajaram até a cidade de Crateús onde lá colocaram em prática toda a ação.

O comércio arrombado trata-se de uma casa de rações localizadas na Rua Dom Pedro II (próximo ao arco) no Centro de Crateús.

A AÇÃO:. Era por volta das 5hs/manhã quando o quarteto teria chegado no comércio e lá teriam simulado uma reforma no prédio.

Segundo o que apurou a nossa reportagem, os homens se aproveitando do horário, bem como da ausência do dono do comércio, teriam se fingido que estavam ali para fazerem uma reforma, inclusive teriam chegado a colocarem andaimes nas paredes do prédio onde foi possível arrombarem o prédio da loja.

Mesmo cedo, as pessoas que passavam próximo ao local não desconfiavam de nada, pois achavam que aqueles homens que ali estavam, estivessem de fato reformando o local.

Os homens conseguiram com muita inteligência adentrarem a loja e chegar até o alvo principal no caso o cofre.

Logo em seguida os acusados colocaram o cofre dentro do reboque e cobriram com um plástico, bem como colocaram os outros matérias que foram usados na simulação da obra, dentro do reboque e fugiram em seguida.

Uma ação rápida e inteligente, porém não mais inteligente que as câmeras de segurança instaladas naquele local que acabaram registrando a ação delituosa.

A reportagem apurou ainda, que durante a fuga, os homens fugiram pela localidade de Jardim/Crateús, e retornaram para o município de Tamboril.

Após perceber que seu comércio tinha sido arrombado e o seu cofre furtado, o comerciante procurou a delegacia de polícia civil de Crateús onde registrou o caso.

Investigações:. De imediato foi montada uma Equipe de inspetores que passaram a investigar o caso, e através das filmagens das câmeras de segurança, a polícia conseguiu identificar a Placa do veículo que havia sido utilizado na ação.

Prisão:. Na última quarta feira (17/02), uma equipe de inspetores da delegacia regional de polícia civil de Crateús foi até a cidade de Tamboril onde conseguiram desvendar toda a ação criminosa.

Em Tamboril os inspetores localizaram o carro e o reboque (usados na ação) tendo tanto o carro como o reboque sido apreendidos de imediato.

Já o cofre foi Recuperado pelos policiais na localidade de Aroeira (região do Distrito de Oliveiras).

Além do mais os policiais também realizaram a prisão do pintor:. Francisco Antônio Marques Rodrigues, 39 anos, Residente no Bairro Monte Azul – Tamboril, o qual é Acusado de ter participado diretamente do crime.

Francisco Antônio foi encaminhado a delegacia onde foi autuado em flagrante pelo crime de furto (ART 155).

Já os outros três rapazes acusados de terem Participação no furto do cofre não foram localizados, porém foram todos identificados.

Apresentação:. Nesta quinta feira (18/02) os três homens se apresentaram na delegacia de polícia civil acompanhados de seus  advogados , para serem ouvidos, porém inicialmente não ficarão presos pelo fato de não existir mais o flagrante, e nem existir mandados de prisão.

Ainda segundo o que apurou a nossa reportagem, os acusados acreditavam que no cofre tivesse muito dinheiro, mais quando estes abriram o referido cofre, para a decepção de ambos só tinha cerca de 5 mil reais, mais que a polícia teria conseguido recuperar apenas parte do dinheiro (cerca de 700 reais).

Ainda de acordo com informações colhidas pelo Blog, os acusados teriam dito na delegacia que o dono do reboque não tinha nada a ver com o caso, e que o mesmo teria emprestado o objeto sem saber que seria usado na ação.

Tanto o veículo como o reboque seguem apreendidos na Delegacia de polícia civil de Crateús, e o caso segue em andamento onde no final da conclusão do inquérito, o delegado poderá ou não representar pelas prisões dos demais envolvidos.

 

 

 

 

Nordeste Notícia
Fonte: Ipaporanga Notícia

Comente com Facebook

Clique na imagem!