O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou nesta quinta-feira (8) que o estado vai liberar R$ 100 milhões para microempreendedores do estado, com objetivo de fortalecer a economia cearense. O anúncio do Programa de Microcrédito Produtivo Orientado (Ceará Credi) aconteceu no fim da manhã e foi transmitido pelas redes sociais oficiais do Governo do Ceará.

O Governo do Estado lançou na manhã desta sexta-feira (9) o programa de crédito Ceará Credi, que será operacionalizado por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). Com investimento de R$ 100 milhões para impulsionar os pequenos negócios, o programa terá taxa zero em 2021 na tentativa de amenizar os impactos da pandemia do coronavírus.

PUBLICIDADE

Ao anunciar os detalhes da iniciativa, o governador Camilo Santana pontuou que, diante da pandemia, é importante estimular a economia local por meio do crédito.

“Nós estamos muito empolgados com esse programa. Sou entusiasta dessa política e o Ceará dá um passo importante para o fortalecimento do microcrédito no Estado do Ceará”, destacou o governador.

objetivo do programa é atingir microempreendedores e trabalhadores autônomos informais e Microempreendedores Individuais (MEIs), dos diversos segmentos de produção, artesanato, comércio e serviços, inclusive empreendedorismo social e cultural.

O programa irá priorizar pessoas em situação de vulnerabilidade e beneficiários de políticas sociais.

Também estão entre os beneficiados pela iniciativa os agricultores familiares que desenvolvam negócios não agrícolas no meio rural. Os beneficiários não poderão ter renda superior a três salários mínimos.

CONFIRA AS PRINCIPAIS CONDIÇÕES PARA TER ACESSO

  • Pessoas com renda mensal de até três salários mínimos (R$ 3.117);
  • Financiamento individual entre R$ 500 e R$ 5 mil;
  • Financiamento em grupo com limite máximo de R$ 21 mil;
  • Juros em torno de 0,3% a 0,5% ao mês a partir de 2022;
  • Parcelamento em até 24 meses;
  • Pagamento por plataforma digital;
  • Carência de até quatro meses.

LINHAS DE CRÉDITO

O PROGRAMA INICIA COM DUAS LINHAS:

  • Capital de giro: compra de insumos, matéria-prima, produtos acabados;
  • Investimento fixo ou misto: aquisição de máquinas, utensílios e equipamentos e abertura de novos negócios + capital de giro.

FORMAS DE ACESSO E GARANTIAS

  • Crédito individual, com garantia de aval de grupo solidário;
  • Crédito individual, com garantia de avalista;
  • Crédito de Grupo Produtivo Solidário, com garantia solidária.

TAXAS

A PARTIR DE 2022:

  • Capital de giro de 0,5% ao mês
  • Investimento fixo ou misto de 0,3% ao mês + taxa de abertura de crédito (2% sobre o valor desembolsado).

PRAZOS E CARÊNCIAS

  • Capital de giro: 4 a 9 meses de prazo (carência de até 2 meses);
  • Investimento fixo ou misto: 12 a 24 meses (carência de até 4 meses).

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA

O programa Ceará Credi conta também com um bônus de adimplência de 10% sobre as parcelas do empréstimo pagas em dia. Esse bônus irá para uma conta do tomador de crédito, gerando uma espécie de poupança para o beneficiário.

O valor só poderá ser retirado após o encerramento da operação de crédito.

EMPRÉSTIMOS DE ATÉ R$ 21 MIL

Na última semana, o governador Camilo Santana anunciou a liberação de R$ 100 milhões para o Ceará Credi. O recurso será operado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). A medida possibilitará empréstimos de até R$ 21 mil.

A ideia é que a liberação do crédito ocorra acompanhada de orientação sobre educação financeira. Em entrevista ao Diário do Nordeste, o presidente da Adece, Francisco Rabelo, disse na semana passada que será lançada uma plataforma virtual do Programa, com conteúdos educacionais para auxiliar os pequenos negócios.

“O empreendedor vai ter um pacote com a lógica de usar o recurso e o treinamento. Faz parte do Programa ter uma educação financeira, o mínimo de plano para ajudar o negócio. É um tipo de crédito orientado”, salientou.

Mais informações em instantes

Nordeste Notícia
Fonte: SVM

Comente com Facebook

Clique na imagem!