Legenda: A média de idade dos pacientes internados no Ceará é de 60 anos
Foto: Raquel Oliveira

Em 2020, o Estado gastou R$ 68,9 milhões  com pacientes infectados pela Covid-19. Ao todo, foram 17.997 hospitalizações na rede pública. Este montante financeiro é superior à soma de todos os recursos gastos com outras internações, dentre as quais, septicemia, infarto agudo do miocárdio e pneumonia. Os números são do IntegraSus, plataforma oficial da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará.

A Capital cearense lidera o ranking de internações e valores aplicados. No ano passado, foram 7.106 hospitalizações e pouco mais de R$ 35 milhões direcionados ao tratamento destes pacientes. O Hospital Leonardo da Vinci – aberto exclusivamente para tratamento de infectados com Covid-19 – recebeu pouco mais de R$ 10 milhões, seguido pelo Hospital Geral de Fortaleza com R$ 6,1 milhões aplicados.

PUBLICIDADE

Sobral, na região Norte, aparece na segunda posição das cidades cearenses com R$ 9,2 milhões gastos. A Santa Casa de Misericórdia de Sobral foi a que mais internou no Município: 4.835 e pouco mais de R$ 6,7 aplicados. Em seguida aparece o Hospital Regional Norte (HRN), com 3 mil hospitalizações e R$ 4,8 milhões gastos.

MEDICAMENTOS

Por se tratar de uma doença nova, que até então não se tinha nenhum conhecimento, diversos medicamentos e materiais hospitalares que passaram a ser utilizados no ano passado não faziam parte do leque de cobertura do SUS. Diante desta ausência, muitas compras foram realizadas sem licitação o que, na avaliação da economista, “deixa os preços mais caros”.

 

Estados e municípios fecham 2020 com o dobro de dinheiro em caixa, apontam dados de Tesouro e BC

Apesar da pandemia do novo coronavírus, estados e municípios fecharam 2020 com quase o dobro de dinheiro em caixa em relação ao ano anterior, segundo dados do Tesouro Nacional e do Banco Central.

De acordo com as duas instituições, o saldo de estados e municípios passou de R$ 42,7 bilhões em 2019 para R$ 82,8 bilhões, no fim do ano passado, uma alta de 94%. Trata-se da maior disponibilidade de caixa para prefeitos e governadores em ao menos 19 anos.

Nordeste Notícia
Fonte: SVM

Comente com Facebook

Clique na imagem!