Atingido em cheio pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, o setor de alimentação fora do lar começa a contabilizar as perdas definitivas após meses de isolamento social. De acordo com o diretor executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE), Taiene Righetto, cerca 1,8 mil restaurantes em Fortaleza — 30% do total de 6 mil estabelecimentos do ramo em atividade — não devem mais conseguir abrir as portas após a reabertura da economia no estado.

Os serviços não essenciais ficaram suspensos ou funcionando parcialmente desde março, quando um decreto do Governo do Estado determinou o fechamento desses serviços. Restaurantes, por exemplo, só puderam atender por entrega em domicílio.

PUBLICIDADE

Os estabelecimentos esperavam que na Fase 3 do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais no Estado os restaurantes fossem liberados para o funcionamento noturno, o que não aconteceu. Caso os empreendimentos sigam fechados, na avaliação da Abrasel-CE, “o setor pode quebrar pela metade”, com 50% dos empreendimentos fechando definitivamente.

Atualmente os restaurantes de Fortaleza podem funcionar com horário restrito (das 11h às 16h) e seguindo um protocolo de segurança, como a disponibilidade de álcool gel para os clientes. Os restaurantes que reabriram apresentam um faturamento de apenas 30%, o que não possibilita a recomposição das perdas sofridas durante a pandemia, conforme a Abrasel.

Com movimentação tímida, restaurantes reabrem para o público em Fortaleza com série de restrições — Foto: Helene Santos

Com movimentação tímida, restaurantes reabrem para o público em Fortaleza com série de restrições — Foto: Helene Santos

Ele ressalta que este momento inicial de reabertura não tem sido o suficiente para recuperar os déficits ocasionados pela pandemia. “Este é um momento de trazer segurança e confiança ao cliente, de que ele não precisa ter medo, pois os estabelecimentos estão bem preparados para recebê-los”, pontua Righetto.

Veja alguns dos restaurantes que fecharam em Fortaleza

Alfredo

Especialista em frutos do mar, o restaurante “Alfredo, o Rei da Peixada” anunciou na última quinta-feira (9) através de suas redes sociais o encerramento de suas atividades. O estabelecimento foi inaugurado em 1958 e ficava localizado na orla da Avenida Beira-Mar (Mucuripe).

Floresta Brasil

Ainda em abril, o restaurante Floresta Brasil também anunciou sua “carta de despedida” nas redes sociais. O estabelecimento já estava em Fortaleza há quase três anos, localizado no Meireles. Ao encerrar as atividades, o restaurante dispensou mais de 80 colaboradores.

“Já seria quase impossível reerguer uma casa tão grande em um momento pós-crise. E para piorar, nossa negociação com a imobiliária/proprietária foi praticamente nula por parte deles. Apesar de toda energia e capital investido, não dá para continuar… o Floresta Brasil fechou no auge, mas sua vibração ficará sempre em nossas lembranças. Fizemos o melhor que podíamos”, pontua a publicação divulgada pelas redes sociais do estabelecimento.

L´Café Art e Bistrô

Com mais de sete anos de funcionamento, o bistrô L’Café também encerrou suas atividades com a crise gerada pela pandemia. Além do funcionamento normal para cafés e refeições, o estabelecimento também era um local procurado para a realização de encontros, reuniões, casamentos e batizados.

O bistrô ficava localizado no bairro Edson Queiroz e fechou as portas em maio. Através de suas redes sociais, o estabelecimento comunicou o fim das atividades. “Foi uma decisão difícil e triste, mas infelizmente, necessária. Agradecemos imensamente o apoio dos clientes, colaboradores, fornecedores, parceiros e à todos que passaram pela nossa casa”, diz o estabelecimento através de suas redes sociais.

Boozer’s

Voltado para o público que gosta de rock, a casa Boozer’s Pub fechou as portas em abril, devido à pandemia. O estabelecimento estava operando na Capital há quase seis anos. Através de suas redes sociais, eles divulgaram uma nota de despedida informando que estavam passando por uma “reorganização interna para superar a crise de 2019”.

“O futuro era promissor porque estávamos passando por uma reestruturação e reorganização interna para superar a crise de 2019, porém não conseguimos renegociar algumas dívidas durante esse período de confinamento, o que tornou nosso retorno impossível em um momento pós-pandemia… Agora é hora de nos cuidarmos, ficarmos em casa. Sentiremos falta de vocês”, comenta a publicação divulgada pelo estabelecimento.

Cavalieri

Com um conceito diferente e moderno, o Cavalieri Confraria foi um dos estabelecimentos que também fechou as portas por conta da pandemia. Atuante em Fortaleza desde março de 2017, o estabelecimento ficava localizado na Aldeota e unia um mix de serviços e produtos, que ia desde a gastronomia, studio de beleza a charutaria.

O anúncio do fechamento foi feito através das redes sociais do restaurante em maio. “Hoje a nossa jornada chega ao fim. Estamos nos despedindo, mas com a certeza de que estaremos eternizados nas memórias e nos corações de nossos clientes e colaboradores que com certeza lembrarão do Cavalieri com muito carinho!”, diz o comunicado.

Blablabar

O Blablabar Bar & Cozinha também anunciou o encerramento definitivo das atividades em maio deste ano. “Gostaríamos de agradecer a todos que estiveram conosco nesta aventura”, diz o comunicado. O bar ficava na Rua Ana Bilhar, no bairro Varjota.

Comente com Facebook