Atividades presenciais na UFC retornam em 20 de julho — Foto: Natinho Rodrigues/SVM

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Federal do Ceará (UFC) aprovou na quinta-feira (2) em assembleia virtual, o Plano Pedagógico de Emergência (PPE). Com isso, os alunos e professores voltarão à rotina de aulas a partir do dia 20 de julho em uma das três modalidades de ensino propostas pelo programa. O documento estabelece o retorno das atividades acadêmicas nos cursos de graduação, de pós-graduação e das Casas de Cultura Estrangeira. A versão final deve ser assinada ainda nesta sexta-feira (3).

Entre as propostas de ensino está uma alternativa híbrida, com parte da turma presencial e a outra em ensino a distância. Adicional ao formato misto, será possível optar por duas modalidades de ensino: as aulas remotas, com turmas integralmente virtuais e as aulas presenciais para práticas e estágios, seguindo medidas de saúde recomendadas pela Instituição.

PUBLICIDADE

Assim como outras instituições de ensino superior do Brasil, a UFC também optou por adequar a carga horária do semestre devido a pandemia de Covid-19. Por isso, os professores devem cumprir carga horária mínima de 85 dias e máxima de 100 dias. Antes, com o funcionamento pleno das atividades, o calendário acadêmico contava com 100 dias de aula por semestre.

Dessa forma, o plano divide a volta às aulas em três situações: turmas que permaneceram em atividades remotas durante a quarentena e que devem concluir o semestre ainda neste mês; turmas que interromperam as atividades remotas, onde a volta às aulas serve para concluir a carga horária mínima e as turmas que não realizaram atividades remotas. Os alunos incluídos nas últimas duas situações devem normalizar às atividades em 20 de julho.

Contudo, mesmo com a indicação de retorno presencial, a universidade ainda não apresentou plano sanitário para adequar os espaços físicos durante o retorno. Ainda, o plano híbrido, que prevê uma porcentagem da sala em aula remota, não estabelece a quantidade permitida de alunos presencialmente.

Votação sem representante discente

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC) avalia a votação como “antidemocrática”, já que a Assembleia não contou com participação estudantil, uma obrigatoriedade prevista no ensino superior.

“Isso vai contra a LDB. Ela garante o espaço dos estudantes na reunião do colegiado”, reforça o professor Bruno Rocha, atual presidente da ADUFC. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) prevê que as decisões administrativas passem por auditoria estudantil.

Bruno coloca ainda que a votação não contemplou todos os cursos. Parte dos representantes discentes optaram pela abstenção, em vista da ausência de estudantes. “É o método da reitoria de esvaziar e diminuir o debate. Dessa forma, conduz as reuniões do Conselho para que a decisão que lhe interessa seja tomada. O reflexo disso é um assunto tão importante sem representação estudantil”, aponta Bruno.

Novo calendário

Universidade Federal do Ceará — Foto: José Leomar/SVM

Universidade Federal do Ceará — Foto: José Leomar/SVM

O semestre letivo 2020.1, interrompido pela quarentena, deverá ser concluído até o dia 22 de outubro. Apesar de permitir a volta presencial, a Prograd recomenda que as turmas retornem preferencialmente no virtual.

Agora, o próximo passo da Pró-reitoria é elaboração de um novo calendário acadêmico, adaptado para as aulas remotas e que contemple, ainda, os dias de aula do período 2020.2, que segue o semestre atual. A decisão também será apreciada pelo CEPE e deve ser publicada ao longo das próximas semanas.

Segundo o PPE, os professores terão suporte pedagógico e tecnológico, bem como de acessibilidade metodológica à infraestrutura física e de segurança sanitária para a realização das atividades didáticas.

Funcionamento presencial

No começo da semana, a Universidade Federal do Ceará (UFC) publicou internamente uma portaria que previa o retorno das atividades administrativas presencialmente a partir do dia 6 de julho. Contudo, a Instituição voltou atrás e disse que vai apresentar uma “nova proposta” de data para retorno das atividades administrativas presenciais na instituição.

“A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEP) da Universidade Federal do Ceará informa que apresentará nova proposta de retorno às atividades administrativas presenciais da Instituição, no contexto da pandemia de Covid-19”, afirmou a instituição em seu site e redes sociais.

Segundo a Universidade, a portaria circulou apenas internamente e, portanto, não se tratava de uma publicação oficial. “A PROGEP esclarece que a Portaria nº 97, de 26 de junho de 2020, que chegou a circular internamente na Universidade, não foi publicada oficialmente, e será substituída por nova versão”, declarou, acrescentando que “mais informações serão divulgadas ao longo desta semana”.

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook