Com o adiamento da sessão em que seria votada a cassação do prefeito da cidade de Granjeiro, no Norte do Ceará, houve aglomeração na cidade nesta quarta-feira (20). O estado teve o decreto de isolamento social prorrogado até o próximo dia 31 de maio, com restrições a qualquer tipo de reunião pública de pessoas e uso obrigatório de máscaras.

Atual prefeito de Granjeiro e o pai são suspeitos de matar antecessor
Um grupo de apoiadores do atual prefeito conduziu veículos em fila pelas ruas, inclusive, carros da prefeitura, como ambulâncias. Houve buzinaço e queima de fogos em alguns momentos da manifestação. Alguns não usavam máscaras.

PUBLICIDADE

O advogado do prefeito, Luciano Daniel, negou que ocorreu uma carreata e disse que os veículos públicos estavam sendo levados para ser entregues caso ocorresse o impedimento do gestor.

Ticiano Tomé (sem partido), atual prefeito do município assumiu a prefeitura após o assassinato de João Gregório Neto, o João do Povo, em dezembro do ano passado.

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Márcio Pereira, o prefeito entrou com um mandado de segurança na Justiça pedindo o cancelamento da decisão sobre a cassação. A defesa de Tomé alegou que não teve acesso a alguns documentos do processo, e o juiz decidiu pela suspensão da votação. A Câmara afirmou que vai recorrer da decisão.

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook