O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, afirmou nesta quarta-feira (26) que está descartada uma hipótese de paciente com coronavírus no estado. Um homem que esteve na Itália e retornou ao Ceará nesta semana apresentou sintomas de influenza, que não se trata do novo vírus. Um segundo caso notificado no Ceará, de paciente que também esteve na Itália, está em análise.

O homem passa por exames para saber se contraiu a doença. Se trata de um médico de 35 anos. Os dois casos foram notificados na manhã desta quarta. O resultado deve ser divulgado até o fim do dia.

PUBLICIDADE

O secretário Dr. Cabeto alertou para o aumento das notificações de casos suspeitos no Ceará, já que agora há um caso confirmado no Brasil, e em outras regiões mais próximas do país.

“Não é nossa realidade hoje, mas é preciso que a população entenda que seria natural aparecer mais casos suspeitos já que há aumento de casos na Europa e América do Norte. O contato dessas pessoas e a presença de sintomas virais, como febre associada a sintoma de infecção respiratória, faz com que o número de casos suspeitos aumente”, disse.

O Ministério da Saúde afirmou que está comprovado o caso positivo de coronavírus no Brasil nesta quarta-feira. Este é o primeiro caso da doença no país e em toda a América Latina.

Além dele, há outros 20 casos em investigação e 59 suspeitas já foram descartadas.

A Itália confirmou 12 mortes pela doença. As pessoas que retornam do país às suas cidades passam por observação.

Casos suspeitos

Segundo o secretário da saúde do Ceará, os casos de infecção respiratória comuns para essa época, como as gripes, também vão contribuir para o aumento das suspeitas no estado.

“Nós vamos ter aumento do número de casos suspeitos, isso não quer dizer que vamos ter uma consolidação da disseminação do coronavírus nos ambientes do Brasil”, completou.

Para ser considerado suspeito, o paciente precisa apresentar sintomas respiratórios e febre, associados a vir de uma área potencial de transmissão, explicou o secretário.

Em caso de positivo para o novo vírus, se não tiver sintomas de gravidade, a pessoa pode ficar de quarentena em casa, fazendo uso de máscara e álcool em gel, por exemplo.

Até o momento, a orientação é que as pessoas procurem uma unidade de saúde se apresentarem alguma suspeita.

A Secretaria da Saúde (Sesa) vai se reunir com representantes do município de Fortaleza ainda nesta quarta para “fazer ajustes” no plano de contingência preparado juntamente com o MS para enfrentamento da doença, informou Cabeto.

Leitos separados em hospitais

O secretário também afirmou que o estado está se antecipando e separando número de leitos em hospitais, para atender os possíveis casos.

“Todos os hospitais estão orientados para ter setores de isolamento, com até dois leitos. E nós estamos organizando um plano pra que, se eventualmente essa coisa ficar maior, que pode muito bem não acontecer, a gente ter um hospital de referência específico exclusivo pra isso”, frisou. A unidade em questão não foi definida.

De acordo com ele, tanto os hospitais públicos quantos os privados foram instruídos sobre como proceder.

Confira as principais informações:

  • Brasil confirmou o primeiro caso de coronavírus no país
  • Trata-se de um homem que mora em SP, tem 61 anos, e veio da Itália
  • Ele está em quarentena domiciliar
  • 30 pessoas da família estão sob observação
  • Além destes casos, há 20 pacientes em investigação em todo o país
  • Outros 59 casos foram descartados
  • 16 passageiros que estiveram no mesmo voo devem ser postos em observação – alguns podem ter pego conexão e ido para outros destinos

Caso confirmado no Brasil

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o paciente com Covid-19 chegou ao país vindo da Itália. Ele estava assintomático e, depois de alguns dias, procurou um serviço de saúde com sintomas respiratórios. Antes, ele havia participado de uma reunião familiar, o que levou o Ministério da Saúde a colocar 30 pessoas que tiveram contato com ele em observação.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou que ele é hipertenso e que por ter mais de 60 anos está entre os pacientes que apresentam maior risco, mas no caso dele específico, os sintomas são leves e a doença não evoluiu para um quadro mais grave.

Como é o diagnóstico de coronavírus pelo Ministério da Saúde. — Foto: Arte/G1

Como é o diagnóstico de coronavírus pelo Ministério da Saúde. — Foto: Arte/G1

Dicas de Prevenção

  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
  • Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
  • Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.
Casos de novo coronavírus pelo mundo, incluindo o Kuwait, nesta segunda-feira (24) — Foto: Arte/G1

Casos de novo coronavírus pelo mundo, incluindo o Kuwait, nesta segunda-feira (24) — Foto: Arte/G1

Nordeste Notícia
Fonte: G1

Comente com Facebook