Pelo menos, três motocicletas de alta cilindrada como Hornet 650, uma CB 500 e uma CBR 650 estavam apreendidas no pátio da Delegacia ( Fotos: Kléber A. Gonçalves )

Uma operação da Polícia Civil na noite de ontem, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), fechou a reunião de uma célula no Ceará da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Pelo menos, 32 pessoas que seriam integrantes do grupo foram presas entre traficantes de drogas, assaltantes e homicidas. Entre o material apreendido havia uma metralhadora, uma pistola, motos de alta cilindrada e automóveis de luxo.

PUBLICIDADE

De acordo com uma fonte da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), cerca de 70 pessoas estavam reunidas em um sítio, localizado na Rua João Campos Filho, bairro Parque Tijuca, em Maracanaú. A Polícia Civil estava investigando as ações da organização e tomou conhecimento do encontro, que serviria também para comemorar a união do PCC no Estado.

Equipes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e da Divisão Antissequestro (DAS) chegaram ao local por volta das 19 horas. Testemunhas relataram à reportagem que eram mais de dez viaturas da Polícia Civil.

Todos as pessoas capturadas na reunião foram levadas, sob forte escolta, para a sede da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e autuadas em flagrante

Na chegada, houve um intenso tiroteio, de acordo com um policial que participou da operação. Muitas pessoas que estavam na reunião conseguiram escapar durante a troca de tiros, mas as principais lideranças acabaram presas. A quadrilha foi levada para a sede da DRF, no Bairro de Fátima.

 

Um dos ‘cabeças’ capturado pela Polícia Civil é o rondoniense Vagner Medeiros de Freitas, 28, o ‘Coiote’. Ele havia sido preso, em 2010, acusado de roubo de veículos e também por planejar o sequestro de um empresário cearense.

Os nomes dos demais presos, os crimes atribuídos a eles e os detalhes da operação serão divulgados, hoje, em entrevista coletiva na sede da DRF.

O advogado de cerca de 30 presos na ação conversou com a reportagem do lado de fora da DRF, onde parentes dos suspeitos aguardavam por notícias. O defensor negou que os clientes dele fossem integrantes do PCC e informou que não era reunião de nenhum grupo criminoso, mas apenas a comemoração de um aniversário.

Um adolescente que também foi detido no sítio acabou liberado por volta das 22 horas. O pai do suspeito informou que o filho tem 16 anos e não sabia que ele estava nesse local. Na entrada da Especializada, parentes falavam ao celular e acenavam para os suspeitos presos. Todos os homens capturados na reunião estavam sentados no primeiro andar do prédio onde funciona temporariamente a sede da DRF.

Nordeste Notícia
Fonte: Diário do Nordeste

Comente com Facebook

Clique na imagem!