bandido capturadoNa manhã desta quarta-feira (08) o acusado de estuprar, matar e arrancar o coração de uma menina de 10 anos em Buenópolis foi preso na zona rural de Joaquim Felício (295 km de Belo Horizonte). De acordo com a Polícia Militar, funcionários de uma fazenda estavam saindo para trabalhar quando encontraram Jairo Lopes de 42 anos escondido em um matagal às margens da BR-135. Eles reconheceram o criminoso, o amarraram com cordas e acionaram a PM. Segundo informações, algumas pessoas que estavam no local queriam agredi-lo e foram contidas pelos policiais para evitar o linchamento. Jairo foi conduzido à Delegacia de Curvelo. Se você ainda não estava sabendo desta notícia, confira na íntegra neste.

Conheça o caso

A menina de apenas 10 anos foi estuprada e morta
A menina de apenas 10 anos foi estuprada e morta
Nesta última quinta-feira (02) o corpo de menina de apenas 10 anos foi encontrado em um matagal próximo à Fazenda Bom Jardim na zona rural da cidade de Buenópolis (279 km de Belo Horizonte). O corpo da vítima apresentava violência física e sexual, perfurações no estômago e estava sem o coração.
PUBLICIDADE

Segundo informações, o acusado identificado como Jairo Lopes que já tinha passagens pelos crimes de homicídio, estupro e roubos na cidade de Montes Claros e é foragido da Justiça desde 2012 está sendo procurado pelas polícias Civil e Militar de Minas Gerais. Por esses motivos, Jairo usava um nome falso na região onde era conhecido por Adauto. De acordo com a PM, Rayane Aparecida Cândida teria desaparecido na manhã da última quarta-feira (01) quando saiu para pegar uma van que a levaria até a escola. Segundo familiares, a garota percorria o caminho de um quilômetro sozinha em uma região pouco movimentada e de difícil acesso para chegar até o veículo.

A polícia informou que no dia do crime o acusado estava monitorando o trajeto da vítima e os rastros dela não foram encontrados depois da cancela que fica na propriedade do pai. A polícia acredita então que ela não conseguiu chegar nem no limite da propriedade do pai.

A mulher de Jairo contou aos militares que ele era estranho e sempre se escondia quando uma viatura da polícia passava por perto. “Conheci ele no local onde eu trabalhava, nos envolvemos e em poucos meses ele pediu para passar uns dias na minha casa. A partir daí ele começou a morar comigo e estávamos juntos há dois anos. Ele dizia não ter documentos e que também não gostava de tirar fotos e sempre notei estranheza nele quando algum carro de polícia passava”, conta a mulher. A família da vítima está em estado de choque e ainda relatou que na semana anterior ao crime o acusado havia ido até a fazenda deles para pedir emprego.

Nordeste Notícia
Fonte: Noticias Plantao Policial

Comente com Facebook