O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), disse que  desconhece a possibilidade de o senador Eunício Oliveira(MDB) integrar o secretariado do governador Camilo Santana. Ainda assim, ressaltou que conversa com todo mundo para resolver problema de Fortaleza, “até com Eunício”. Mais de um mês após a troca de farpas entre o prefeito de Fortaleza e o presidente do Senado, está mantido o desentendimento entre os líderes políticos.

“Não está boa, não”, disse Roberto Cláudio sobre a relação, nesta quarta-feira (26), durante entrevista à rádio Tribuna BandNews FM. No final de novembro, Eunício chamou o pedetista de “traidor” após acusações de aliados do prefeito de que o senador havia barrado concessão de 150 milhões de dólares para Fortaleza.

“O senador perdeu a eleição. Na Região Metropolitana inteira, ele foi o quarto colocado, não só aqui (em Fortaleza). Ele resolveu atribuir sua derrota a mim e a Fortaleza e, claramente, atrapalhou algo que estava na cara do gol para viabilizar, o que seria o primeiro financiamento para o meio ambiente, o primeiro financiamento com o Banco Mundial da história de Fortaleza”, queixou-se o prefeito.

Eunício nega que tenha atuado para barrar o empréstimo. Roberto Cláudio afirma que o projeto será reapresentado no Senado quando Eunício deixar a Casa. “Infelizmente atrapalhou, mas felizmente o projeto foi preservado. Não cultivo o ódio pessoal, não cultuo nenhuma rivalidade”, ressaltou o prefeito.

Eunício no Governo

Questionado se haverá inconveniência caso Eunício passe a integrar o secretariado de Camilo Santana – aliado do prefeito, Roberto Cláudio disse que desconhece o assunto. “Eu nunca ouvi, a não ser por nota de jornal”, acrescentou.

Ainda assim, o chefe do Executivo disse que trataria com Eunício caso o assunto fosse de interesse da Capital. “Converso com todo mundo para resolver problema de Fortaleza. Não tenho problema para discutir o projeto da cidade, até com o senador Eunício”, disse.

Desde as eleições de 2014, quando Eunício foi derrotado no governo Camilo Santana, a relação com o grupo aliado dos irmãos Cid e Ciro Gomes tem sido instável. Em 2016, Eunício apoiou o adversário de Roberto Cláudio, o deputado federal eleito Capitão Wagner (Pros).

Em 2017, no entanto, quando Eunício assumiu a presidência do Senado, RC e Camilo se reaproximaram do senador sob a justificativa de articulação de projetos para o Estado e a Capital. Nas eleições de 2018, o governador foi o principal fiador de uma aliança informal com o Eunício. Ainda assim, Roberto Cláudio se esquivou de demonstrações pública de apoio. Nas urnas, a reaproximação se mostrou ineficiente para reeleger o presidente do Senado.

 

Comente com Facebook