Para dar continuidade ao modelo de jogo adotado pelo técnico Rogério Cpni, de muita velocidade pelas pontas, o Fortaleza anunciou, na tarde e noite de ontem, as contratações do atacante Edinho, de 23 anos, e de Madson, de 32 anos.

Edinho retorna ao clube, após ter sido negociado para o Atlético Mineiro, quando se destacou na Série B do Campeonato Brasileiro. Transferiu-se para o Atlético/MG, ainda no início da competição.

Revelado pelo próprio Fortaleza, o atacante está com 23 anos e deixou o Fortaleza, na época, com seis assistências e dois gols marcados.

Nascido em Baturité, Edinho já passou por Avaí, Paysandu, Ituano/SP, Guarani/SP, Mogi Mirim/SP e CSA, pelo qual se tornou campeão da Série C do Brasileiro.

Era um desejo da diretoria contar novamente com o jogador, que está com a esposa grávida e queria retornar ao futebol cearense para ficar mais perto dos familiares.

Madson

O diretor de futebol do Fortaleza, Daniel de Paula Pessoa, confirmou a negociação do meia Madson, na tarde de ontem, por ocasião de homenagem prestada aos ex-atletas Leandro, Expedito, Paulo Roner e Gilson, no Pici.

“Está confirmada a contratação de Madson. A gente já assinou tudo, conversamos com o atleta, que estava em Santos, onde passou o Natal com a família. Já está tudo acertado com ele, que estará chegando para a pré-temporada no dia 2 de janeiro, juntamente com os outros atletas”, explicou Daniel de Paula.

“É um jogador que tem números muito bons, tanto pelo Santos, como Athletico Paraense e pelo Vasco. Nesse time dele, o Al-Khor, ele passou, se não me engano, cinco ou seis anos no Catar, fazendo gols. Ele tem mais de 50 gols nesse time, no período desses cinco anos no Catar”, completou o dirigente.

A indicação direta de Madson partiu do próprio Daniel de Paula, que disse haver feito uma pesquisa sobre ele e apresentado ao pessoal de análise de desempenho do Tricolor.

Segundo informações, Madson marcou 19 gols nas temporadas 2017/2018 e vinha jogando pouco em 2018, porque no Al-Khor, havia se encerrado o número de jogadores estrangeiros na temporada, segundo o diretor do Tricolor.

Sua versatilidade foi um dos fatores a serem levados em conta na contratação, pois o jogador tanto poderá atuar pelos extremos do campo, pela direita ou esquerda, ou simplesmente utilizar a camisa 10, como armador. A qualidade de passe e experiência na Série A também contaram.

Diego Jussani

Causou surpresa, quando o zagueiro Diego Jussani se despediu do clube e anunciou sua entrada no América/MG. Diego Jussani fez 49 jogos com a camisa tricolor e não renovou contrato, enquanto Roger Carvalho, que era suplente, teve seu vínculo renovado. “Nós seguimos o que é determinado pelo nosso técnico Rogério Ceni, baseado nas análises feitas pela comissão técnica”, disse o executivo de futebol, Sérgio Papellin, sobre o assunto.

Nordeste Notícia
Fonte: Diário do Nordeste

Comente com Facebook