Assim como ocorreu na partida de ida, o segundo e decisivo jogo da final da Libertadores está ameaçado. Alguns torcedores do River Plate quebraram o ônibus do Boca Juniors na chegada ao Monumental de Nuñez atirando pedras, inclusive jogando gás de pimenta dentro do veículo.

Com a ocorrência, a Conmebol Confederação Sul-Americana de futebol) anunciou o atraso de uma hora no ínicio da partida. A decisão agora começara às 19h de Brasília (18h de Buenos Aires).

Por conta desse gás, muitos jogadores passaram mal antes de entrarem no estádio, sentindo indisposição e vomitando, incluindo Carlos Tévez, que, de acordo com a imprensa argentina, foi um dos piores afetados.

Ainda de acordo com a “TNT Sports”, Pablo Pérez, o capitão do Boca Juniors, foi ferido nos olhos e será encaminhado para um hospital. Outros jogadores, como Ábila, Alamendra e Cardona também estão passando mal, enquanto que o Jara sofreu um corte.

A imprensa argentina informa que Daniel Angelici, presidente do Boca Juniors, avisou à Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, que não quer que sua equipe entre no campo do Monumental de Nuñez.

Por conta dessa situação, os dirigentes do Boca Juniors alegam que muitos jogadores não possuem condições físicas para atuarem no Monumental de Nuñez. Uma reunião entre pessoas-fortes dos dois clubes e funcionários da Conmebol vai acontecer para que todos cheguem à uma decisão.

Nordeste Notícia
Fonte: Yahoo