O advogado Erinaldo Dantas foi eleito, nesta quarta-feira (28), presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE) para o triênio 2019-2021. A principal concorrente, Roberta Vasques, ficou em segundo lugar e deixou o local de apuração, no Centro de Eventos do Ceará, antes do resultado final. Dantas somou 7.389 votos de um total de 15.052. Roberta somou 5.928 votos; Regina Jansen, 858, e o candidato Luiz Antônio Lima, 374. Votos em branco foram 204 e nulos 299.

“Essa votação foi uma prova da grande liderança do presidente Marcelo Mota. Mostrou que a gestão tinha muito a oferecer para a advocacia. E agora vamos oferecer muito mais”, disse o presidente eleito, logo após a confirmação da vitória. Erinaldo já havia disputado a presidência da OAB-CE em outras três ocasiões. Titular licenciado da Caixa de Assistência aos Advogados (Caace), ele contou com o apoio do atual presidente da Ordem, Marcelo Mota.

“A ideia da gente é sentar com a diretoria, fazer um planejamento estratégico para os próximos três anos, dividir isso com o Conselho, para que de forma colegiada a gente possa, sim, alcançar os verdadeiros objetivos da advocacia”, acrescentou o eleito.

Erinaldo Dantas é advogado tributarista. A chapa liderada por ele é formada por Ana Vládia Feitosa,  vice-presidente eleita; Pedro Bruno Amorim, secretário-geral; David Sombra Peixoto, secretário adjunto; e Rodrigo Mota da Costa, tesoureiro. Para a Caace, Sávio Aguiar.

Em entrevista ao Diário do Nordeste durante a campanha, Erinaldo destacou sua principal bandeira caso fosse eleito. “Nós queremos dar mais retorno aos advogados, que ele receba em serviços os que paga de anuidade. Entre nossas propostas estão a redução do valor anuidade, oferecer capacitação com cursos gratuitos, infraestrutura para atender os advogados e fortalecimento da Caace”, explicou.

Votação

O Centro de Eventos do Ceará recebeu um grande público durante todo o dia, até 16h, horário em que foram fechados os locais de votação. Uma multidão de apoiadores acompanhou a apuração e vibrou a cada atualização dos dados. Ao todo, estavam aptos a votar 23 mil advogados dos 27 mil profissionais ativos.

Nordeste Notícia
Fonte: Diário do Nordeste