A perita e advogada Roselle Sóglio, contratada a pedido da revista Veja São Paulo para averiguar vídeo íntimo atribuido ao candidato ao Governo de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que o conteúdo é fraudulento.

Conforme a profissional, o vídeo passou por manipulação digital, ou seja, o rosto de Doria, avalia, foi posto sobre a face de outro homem.

Como um dos motivos que justificam a farsa, ela menciona o rosto do homem, que olha continuamente para o mesmo sentido, sem interagir com as mulheres. Segundo ela, ele parece artificial, sem demonstrar reação.
Outro indício de fraude, diz Roselle, é a iluminação direcionada ao espaço em que o homem está na cama. Para ela, a montagem não foi realizada em cima de vídeo aleatório e sim planejado, com direito a cenário montado para facilitar as edições.
Segundo a Veja, para a avaliação, a profissional utilizou software forense do Canadá. A conclusão aponta que uma “máscara digital” foi colocada sobre imagens reais. Ela afirma que o programa Adobe Premiere Pro possibilita traços individuais como olheiras.
A profissional que avaliou o vídeo trabalhou na defesa do casal Nardoni e de Elize Matsunaga.
Nordeste Notícia
Fonte: O Povo