O detalhamento da pesquisa foi divulgado pelo site G1, do Grupo Globo, contratante da pesquisa ao lado do jornal O Estado de S.Paulo. De acordo com os números, a vantagem de Haddad entre o eleitorado feminino foi revertida, apesar dos dois candidatos seguirem em empate técnico. Antes, Haddad tinha 21% e Bolsonaro, 18%. Agora, o presidenciável do PSL tem 24% de intenção de voto das mulheres e Haddad, 20%.

A situação é semelhante entre os eleitores negros. Apesar de o empate permanecer, a vantagem numérica do presidenciável do PSL se intensificou. Ele tinha 25% e agora 28%. O petista ficou estável em 24%.

No Nordeste e entre os eleitores com renda de até um salário mínimo, Haddad segue em primeiro, mas o petista viu reduzir consideravelmente sua vantagem. Entre os que declararam se encaixar na mais baixa faixa de renda, o ex-prefeito oscilou de 28% para 26%, enquanto o militar saltou de 13% para 19%. Já no Nordeste, Haddad subiu de 30% para 35%, mas Bolsonaro também cresceu: de 15% para 21%. O candidato do PSL ultrapassou Ciro Gomes (PDT) na região pela primeira vez. O pedetista tem 15% entre os eleitores nordestinos.

Nordeste Notícia
Fonte:Estadão/Valeria Goncalvez