A Agência Antidoping dos EUA (USADA, na sigla em inglês), órgão responsável pelo controle de substâncias proibidas no UFC, anunciou nesta terça-feira que o lutador brasileiro Fabricio Werdum recebeu uma suspensão de dois anos por ter falhado em exame antidoping realizado em 25 de abril deste ano. A amostra de urina colhida na data revelou a presença do esteroide anabolizante trembolona e de seu metabólito epitrembolona, ambos proibidos no código da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).

A punição a Werdum é retroativa ao dia 22 de maio de 2018, data em que foi anunciada a suspeita de violação da política antidoping e iniciada sua suspensão preventiva. Com isso, o ex-campeão peso-pesado do UFC só pode retornar a lutar em 23 de maio de 2020. A punição de dois anos é padrão para atletas flagrados pela primeira vez no UFC por uso de anabolizantes.

A trembolona é um esteroide anabolizante semelhante à nandrolona, utilizado na veterinária, tipicamente para aumentar o peso do gado sendo preparado para o abate. Aumenta massa muscular, força e vigor físico. Pode ser usada de forma injetável ou em creme.

Fabricio Werdum, 41, terá 42 anos quando sua suspensão se encerrar (faz aniversário em 30 de julho). O lutador gaúcho não estava em período de competição quando se submeteu ao exame, mas estava com luta marcada para o UFC Moscou do próximo sábado, contra o russo Alexey Oleinik, que serviria como evento principal da noite. “Vai Cavalo” lutou pela última vez em 17 de março, quando foi derrotado por Alexander Volkov no UFC Londres.

Bicampeão mundial de jiu-jítsu na faixa-preta e bicampeão mundial do ADCC (prestigioso torneio de luta agarrada), Werdum foi campeão peso-pesado do UFC entre 2014 e 2016 (interino entre 2014 e 2015, absoluto entre 2015 e 2016). Seu cartel no MMA é de 23 vitórias, oito derrotas e um empate.

Fonte: Combate.com