Após o presidenciável Ciro Gomes (PDT) afirmar que facções criminosas propuseram um acordo de paz ao Governo do Ceará – e isso foi recusado –, a vice-governadora, Izolda Cela (PDT), afirmou que tal proposta “não chegou” ao conhecimento dela.
“Por que no Ceará o crime tá explodindo? Porque lá não se faz acordo. Você pensa que já não foi oferecida a possibilidade de fazer acordo?”, disse Ciro a jornalistas durante sabatina transmitida pela Rádio O POVO CBN, na manhã dessa quarta-feira, 19.
Izolda faz parte da chapa candidata à reeleição. Ela esteve em um evento do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado (Sindipostos-CE), na noite dessa quarta-feira, 19, representando o governador que, segundo ela, estave “indisposto” por questões de saúde.
Já na saída do evento, Izolda comentou a fala de Ciro Gomes. “Não estou informada”, foi a resposta inicial. Quando questionada sobre a possibilidade de Camilo ter analisado a proposta e não ter aceitado – como a colocação de Ciro sugere – Izolda reforçou: “Não posso nem dizer que a proposta não tenha sido analisada por Camilo. Não chegou ao meu conhecimento”, afirmou.
Izolda ainda disse que, caso a proposta tenha realmente sido feita, deve ter sido colocada à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) antes de ser levada diretamente para o Palácio da Abolição. Procurada pelo O POVO na quarta-feira, a SSPDS informou não comentar declarações de candidatos.
Evento
O evento do Sindipostos homenageava o deputado Walter Cavalcante (MDB) pela aprovação da lei que aumenta os prazos de licenças, emitidas pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), de todos os postos de revenda de combustíveis e derivados de petróleo do Ceará.
Nordeste Notícia
Fonte: O Povo

Comente com Facebook