Um homem foi preso no início da tarde desta segunda-feira (6) suspeito de expulsar moradores do Residencial Cidade Jardim I, no Bairro Conjunto José Walter, em Fortaleza. O homem foi localizado no apartamento de uma mulher que havia sido expulsa no dia 31 de julho. Ele também é suspeito de tomar o imóvel de um casal. O residencial faz parte do pragrama federal Minha Casa Minha vida.

“A mulher esteve aqui no 8º [Distrito Policial] hoje pela manhã para registrar um boletim de Ocorrência (B.O). Ela não queria o apartamento de volta, apenas o boletim para que pudesse dar baixa na documentação [junto ao agente financeiro] e tentar reaver alguma parte do dinheiro que havia pago”, relara o titular do 8º DP, delegado Breno Fontenele.

Com base nas informações prestadas pela mulher, a polícia foi ao local e encontrou o suspeito. “Ele disse que não residia lá, mas que estava passando uns dias na casa dessa senhora”. Durante as buscas, os policiais encontraram uma quantidade de maconha, R$ 320 e uma balança de precisão.

“Aí, ele confirmou que a droga e o resto do material era dele. Que fazia parte de uma facção criminosa e que tinha saído recentemente do presídio. Segundo ele, a mulher teria sido expulsa por ter um sobrinho na facção rival”, explica o delegado.

Esse não é o primeiro caso de expulsão de moradores de conjuntos residenciais por criminosos. De acordo com o delegado, o grande problema para coibir esse tipo de ação é o medo que impede que as pessoas procurem a polícia para registrar a denúncia.

“Só dá para a gente tomar uma atitude repressiva se a comunidade denunciar. Caso a população não denuncie, nós vamos ter de fazer um trabalho preventivo. Orientei a minha equipe policial para sempre está realizando abordagem lá, começando com os moradores: a polícia tem de estar presente naqueles condomínios”, admite.

Mais expulsão

Quatro dias após a mulher ter sido expulsa do Residencial Cidade Jardim I, um casal passou pela mesma situação. De acordo com o relato do irmão da mulher, um conhecido do cunhado, ao vê-los no residencial, avisou que eles não poderiam permanecer no local uma vez que vinham de outro bairro, dominado por uma facção inimiga. Eles foram ‘autorizados’ a deixar o apartamento apenas com a roupa do corpo.

Os dois foram pedir abrigo na casa do irmão que, no domingo (5), acionou a polícia para fazer a mudança do casal. Chegando ao local, o apartamento estava fechado e os policiais precisaram arrombar a fechadura para entrar no imóvel. De lá, os integrantes da facção já tinham levado duas TVs – uma de 32′ e outra de 43′ – um videogame e um roteador de internet.

“Eu acho que eles pretendiam morar no imóvel, uma vez que os eletrodomésticos maiores – como geladeira, fogão e máquina de lavar – permaneciam no apartamento”, relata o irmão do casal expulso, que não será identificado. O casal está temporariamente hospedado na casa dele.

Os dois namoraram durante cinco anos e o casamento foi realizado em janeiro de 2018. Na tarde desta segunda-feira (6), eles foram ao 13º Distrito Policial, no Bairro Cidade dos Funcionários, registrar um Boletim de Ocorrência (BO) e cobrar providências das autoridades policiais.

Fonte

Comente com Facebook