O jogador Juninho Quixada comemora gol do Ceará durante a partida contra o Paraná, válida pelo Campeonato Brasileiro 2018, no estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba JOKA MADRUGA/AE
O jogador Juninho Quixada comemora gol do Ceará durante a partida contra o Paraná, válida pelo Campeonato Brasileiro 2018, no estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba JOKA MADRUGA/AE

Após 63 dias amargando a lanterna da Série A, o Ceará deixou a última posição da tabela ontem à tarde, em Curitiba-PR. Em confronto direto, o Alvinegro venceu o Paraná por 1 a 0 e quebrou o tabu de nunca ter triunfado na casa do rival paranista. Com a vitória, o clube do Porangabuçu subiu uma colocação – agora é o 19º com 14 pontos -, empurrou o Tricolor da Vila para 20º, que estacionou nos 13, e encostou no primeiro time fora da zona de rebaixamento, a Chapecoense com 18.

O gol da vitória do Vovô saiu dos pés de Juninho Quixadá, antes mesmo do ponteiro marcar 20 minutos de partida. O meia-atacante tem sido fundamental na reação alvinegra. O atleta, que foi destaque na campanha do Ferroviário na Série D, estreou com a camisa alvinegra na rodada passada, diante do Fluminense. Desde então, o Ceará conseguiu emplacar pela primeira vez duas vitórias seguidas no torneio.

Bater o Paraná em pleno Durival Britto não foi tarefa fácil. O time alvinegro precisou se entregar taticamente para segurar a pressão dos donos da casa e sair com a vitória. A proposta montada por Lisca era deixar o adversário propor a partida e apostar em contragolpes. E, claro, marcar incansavelmente.

O Ceará sofreu, mas teve Éverson em uma tarde inspirada. O goleiro foi responsável por parar com defesas as principais oportunidades de gol do clube da Vila Capanema. Os homens de frente do Paraná: Rafael Grampola, Silvinho, Nadson e Rodolfo até que tentaram, porém não venceram a disputa com a muralha alvinegra. Maicossuel, que estreou ao entrar no 2º tempo, deu trabalho a zaga cearense, entretanto também ficou só no quase para balançar as redes a favor dos paranaenses.

Vale destacar o trabalho de recomposição do trio ofensivo do Ceará: Leandro Carvalho, Juninho Quixadá e Cardona, que recuavam na marcação e dificultavam as infiltrações do Paraná. Richardson, Eduardo Brock e Fabinho improvisado na lateral-direita foram bem no sistema defensivo.

Quando teve a chance de chegar ao ataque, o Vovô foi eficaz.

Nos 45 minutos finais, o Ceará recuou ainda mais com a postura ofensiva do Paraná em busca do empate. Para renovar as tentativas de contragolpes, Lisca lançou a campo Calyson, Felipe Azevedo e Reina e sacou Juninho Quixadá, Leandro Carvalho e Cardona, que acabaram cansando. O panorama da partida não mudou muito, mas o placar seguiu inalterado até os 49 minutos do 2º tempo, quando o árbitro Grazianni Maciel apitou o fim do confronto e selou a vitória cearense.

O goleiro Éverson deixou o campo como o melhor da partida. Os números do jogo evidenciam a participação decisiva do camisa 01 do Ceará. Em 21 finalizações do Paraná, sete foram na direção do gol – todas paradas com defesas do arqueiro alvinegro.

Os próximos dois compromissos do Ceará serão decisivos e podem tirar o clube da zona. O Vovô enfrenta o Atlético-PR e Santos, que brigam contra a degola, em sequência, nos dias 8 e 11, no PV.

Fonte