França disputou três das últimas seis finais de Copa. Conquistou duas, 1998 e 2018. Fotos: AFP

O apito final do árbitro Nestor Pitana na tarde deste domingo (15), em Moscou, selou o destino de uma seleção que, nas últimas duas décadas, assumiu um lugar de protagonista no mundo da bola. De seleção sem grandes feitos até 1997, a França atingiu um novo patamar nos últimos 20 anos, disputando três finais de Copa do Mundo. Venceu duas.

O pontapé inicial da jornada de glórias francesas foi dado em 1998, com a conquista do 1° título mundial. Jogando em casa e liderados por Zinedine Zidane, os Azuis chegaram ao topo pela 1ª vez com um imponente 3 a 0 sobre o Brasil na final da Copa, em Saint-Denis. Oito anos depois, ainda com Zidane como principal referência da equipe, os franceses chegaram de novo à final, mas dessa vez sucumbiram diante da Itália, derrotados na disputa por pênaltis. Agora em 2018, os franceses não deram sopa ao azar: foram novamente finalistas e venceram a Croácia por 4 a 2, conquistando o segundo título mundial.

Para além das três finais nas últimas seis edições de Copa, a França tem outros feitos notáveis nas outras competições oficiais da FIFA que disputou. Foi campeã europeia em 2000 e finalista da edição 2016, ficando com o vice-campeonato, derrotada na decisão por Portugal. A galeria de títulos, além das duas taças de Copa e um título de Eurocopa, conta ainda com duas conquistas da Copa das Confederações, em 2001 e 2003.

Da geração de Zidane a de Mbappé (eleito a revelação do Mundial 2018), são, ao todo, sete resultados relevantes, de primeiro e segundo lugar, em competições oficiais da FIFA. Números que colocam a seleção francesa no topo do futebol e enchem de orgulho o povo francês, que viveu um fim de semana festivo, com o aniversário de 229 anos da Queda da Bastilha, símbolo da Revolução Francesa. Agora, os azuis celebram uma nova revolução. Dessa vez, no futebol.

Títulos e campanhas notáveis da França:
– 1998: campeã do mundo
– 2000: campeã europeia
– 2001: campeã da Copa das Confederações
– 2003: bicacampeã da Copa das Confederações
– 2006: vice-campeã do mundo
– 2016: vice-campeã europeia
– 2018: campeã do mundo pela 2ª vez

BRUNO BALACÓ

Fonte