O PT tentar a qualquer custo insistir na candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mesmo preso desde 7 de abril, Lula lidera as pesquisas de intenção de voto – com 33% dos votos, segundo a última pesquisa do Instituto Datafolha. Condenado a 12 anos e um mês de prisão em segunda instância, o ex-presidente está, em tese, inelegível pela Lei da Ficha Limpa.

Buscando alternativas para que Lula se candidate, o consultor jurídico do PT, o advogado Luiz Fernando Pereira fez uma série de levantamentos para dar sustentação à tese de que, mesmo condenado em segunda instância, Lula poderia participar da disputa.

Em um deles, apresentou à direção do PT os dois últimos casos de candidatos à Presidência que tiveram registros indeferidos pelo Tribunal Superior Eleitoral, mas continuaram a campanha até o trânsito em julgado.

Rui Costa Pimenta (PCO), por exemplo, teve o registro indeferido em 2006, mas conseguiu participar das eleições. Pereira diz que, neste caso, as chances de o candidato reverter o indeferimento eram “nulas”, mas mesmo assim o TSE o deixou continuar na disputa até o trânsito em julgado do processo.

Com informações do Jornal Folha de São Paulo