O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, anunciou no Twitter que não será candidato à Presidência. “Está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”, disse o magistrado aposentado.

No mês passado, Barbosa se filiou ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). O nome dele era considerado por analistas políticos como outsider, já que construiu a vida pública no meio jurídico, não político.

VotosNas mais recentes pesquisas de intenções de votos, o ex-ministro aparecia à frente de nomes como Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Conforme o Datafolha, na primeira semana de abril, de nove cenários cogitados, Lula liderava em três deles, oscilando com 30% e 31% dos votos. Seguido do deputado Jair Bolsonaro (PSL), variando entre 15% e 16%, e Marina Silva (Rede), com 10%.

No cenário com Lula, Joaquim Barbosa (PSB) aparecia com 8%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 6%, Ciro Gomes (PDT) com 5%, Alvaro Dias (Podemos) com 3%, Manuela D’Ávila (PCdoB) com 3%, Fernando Collor de Mello (PTC) com 1%, Rodrigo Maia (DEM) com 1%, Henrique Meirelles (MDB) com 1%, Flavio Rocha (PRB) com 1% e outros, como Paulo Rabello de Castro (PSC) não pontuaram. Brancos e nulos somavam 13% e não sabiam 3%.

Fonte: Diário do nordeste