Sob comando de Tite, a seleção brasileira já disputou 1.795 minutos de futebol. Daniel Alves participou de 1.311, equivalente a 73% do tempo de jogo. Mais do que mera estatística, o número indica como a lateral direita da equipe tem um dono, e o quanto a lesão em seu joelho direito, que pode tirá-lo da Copa do Mundo, é um enorme empecilho para a comissão técnica.

Durante a vitória do PSG por 2 a 0 sobre o Les Herbiers, o 38º título de sua carreira, Daniel Alves machucou o joelho. Os médicos do clube falam em desinserção do ligamento cruzado anterior. É um tipo de rompimento. Uma entorse acompanha o problema, e só daqui a três semanas, de acordo com os franceses, será possível avaliar se uma cirurgia é necessária.

Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira, vai aproveitar sua ida a Paris para acompanhar e evolução de Neymar e examinar também o lateral-direito, nesta quinta-feira.

Se Tite não puder convocá-lo na próxima segunda-feira, quando anunciará os 23 escolhidos para a Copa do Mundo, terá de entregar a lateral direita a algum de pouquíssimo tempo de ação.

Fagner (Corinthians), Danilo (Manchester City) e Rafinha (Bayern de Munique) disputavam a vaga de reserva de Daniel Alves na lista. Se o titular não for convocado, eles brigarão por dois lugares.

  • Fagner (28 anos): atuou por 272 minutos com Tite, 15,1% do tempo total de jogo. Foi titular no amistoso contra a Colômbia, em que só jogadores de clubes brasileiros foram convocados, e em outras duas partidas: Paraguai (eliminatórias) e Argentina (amistoso). Oscilações na campanha do Corinthians, ano passado, colocaram outros laterais-direitos na disputa, mas o conhecimento tático que ele tem da linha defensiva de Tite, desde quando trabalharam juntos na equipe paulista, é um ponto importante a seu favor.
  • Danilo (26 anos): atuou por 97 minutos com Tite, 5,4% do tempo total de jogo. Entrou em campo apenas na vitória por 3 a 1 sobre o Japão, quando deu uma assistência para Gabriel Jesus. Em boa parte da temporada, atuou pela esquerda no Manchester City. Nos jogos mais importantes, o preferido de Pep Guardiola para o lado direito foi o inglês Kyle Walker. Tem na altura (1,84) e na versatilidade trunfos para ir à Copa.
  • Rafinha (32 anos): atuou por 115 minutos com Tite, 6,4% do tempo total de jogo. Participou de dois jogos com Tite, os amistosos diante de Argentina (entrou no 2º tempo) e Austrália (titular). Em seu clube, o Bayern de Munique, foi lateral-esquerdo em vários jogos. Na sua posição de origem prevalece o alemão Kimmich. Os sete anos na equipe, uma das mais poderosas da Europa, é um argumento para sua convocação.