Dirigentes da Federação da Arábia Saudita (SAFF) baniram o árbitro Fahad Al-Mirdasi do futebol pelo resto da vida, dois meses após ele ser anunciado como um dos 36 juízes escalados para apitar os 64 jogos da competição. A Fifa ainda não se posicionou diante da punição, mas a “Reuters” disse que a SAFF solicitou a sua retirada do Mundial da Rússia. O juiz admitiu ter feito uma oferta para interferir no resultado da final da Copa do Rei da Arábia no último sábado e está detido pela polícia local.

Fahad Al-Mirdasi durante duelo entre Portugal x México no ano passado (Foto: Getty Images)
Fahad Al-Mirdasi durante duelo entre Portugal x México no ano passado

– Na noite de 11 de maio de 2018, Al Mirdasi procurou por mensagem de texto um funcionário ligado a um dos finalistas e solicitou dinheiro corrupto em troca de ajuda na decisão. Al Mirdasi está atualmente sob custódia da polícia, tendo confessado a solicitação pelo pagamento corrupto. A polícia apreendeu seu celular quando ele foi preso – disse a SAFF em um comunicado emitido nesta segunda-feira.

Sob suspeita, ele já tinha sido afastado da decisão da final da Copa do Rei, entre Al-Ittihad e Al-Faisaly, no último sábado. A Fifa divulgou a lista oficial de árbitros que trabalharão na Copa do Mundo em março, com 36 juízes principais e 63 assistentes de 46 países diferentes. Entre eles, 16 asiáticos, seis deles árbitros: Alireza Faghani (Irã) Ravshan Irmatov (Uzbequistão) Mohammed Mohamed (Emirados Árabes) Ryuji Sato (Japão) Nawaf Shukralla (Bahrein), além de Fahad Al-Mirdasi.

Fonte: Espn.com