Francisco das Chagas:
Francisco das Chagas: “É o cabra plantando, limpando e o mato pegando. É isso que anima o agricultor” FÁBIO LIMA

O volume chuvoso no primeiro quadrimestre do ano já é o melhor dos últimos sete anos no Ceará. A dois dias para findar o mês, já choveu 580.2 mm entre janeiro e abril, 4,7% abaixo da média histórica, conforme dados parciais da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A última melhor marca ocorreu em 2011, quando observado índice de 735.8 mm no mesmo período. Em comparação a 2017 (550.5 mm), houve crescimento de 5,4%.

Os quatro primeiros meses de 2018 já são comemorados por quem o sustento depende da água. O feijão verde e o milho já estão sendo colhidos, comemora José Francisco de Almeida, secretário de Políticas Agrícolas da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece).

Segundo Francisco, com exceção de alguns municípios da região Centro-Sul, o cenário é positivo no Estado. “Para aquele que vive da agricultura, a esperança que ele tem é de um bom inverno. Essa perspectiva nossa está se cumprindo. O sentimento é de gratidão”, festeja o secretário.

Abril atingiu o recorde da década com volume de chuva, até ontem, de 208.7 mm – 11% acima do esperado (188 mm) e 79,7% maior que o acumulado no ano passado (116.1 mm). Antes disso, o melhor índice para o mês foi percebido em 2009 (380.5 mm).

Na segunda metade do mês, entretanto, não choveu como na primeira, quando os eventos de chuva atingiram mais municípios do Estado. Entre quinta-feira, 26, e ontem, a Funceme registrou precipitação em apenas 30 municípios. O pior registro do mês foi de 24 municípios entre os dias 25 e 26. A melhor anotação ocorreu entre os dias 1º e 2, com chuva em 167 municípios.

Segundo o supervisor da unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz, houve uma mudança para melhor nas condições gerais meteorológicas de retorno da Zona de Convergência Intertropical – principal sistema que provoca chuvas na quadra chuvosa do Ceará – que se afastou do litoral cearense e, consequentemente, provocou menor incidência de precipitações.

“A zona está retornando mais lentamente, mas ela deve trazer mais chuvas a partir do fim de semana, principalmente no domingo, 29”, adianta o meteorologista. Fritz ainda avisa que maio tem condições meteorológicas mais favoráveis de chuva do que a reta final de abril.

Os maiores volumes observados entre quinta-feira, 26, e ontem são de Morada Nova (42 mm), Ererê (33 mm) e Russas (27.2 mm). Na Capital, foi registrado 1.5 mm de chuva.

Para hoje, a previsão da Funceme é de nebulosidade variável com possibilidade de chuva no litoral, no Maciço de Baturité e na região Jaguaribana. Nas demais áreas, céu entre parcialmente nublado e claro. Amanhã, nebulosidade variável com possibilidade de chuva em todas as regiões cearenses.

Nordeste Notícia
Fonte: O Povo