Maria José, mãe do jovem morto na academia, fala ao Barra Pesada sobre o filho. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro/SBT

No rosto de Maria José, resignação. A mãe de Crislley Kevin da Costa Bandeira, de 19 anos, assassinado por colegas de academia, recebeu a notícia da morte do filho na mesma noite do crime. Ela falou do quanto o jovem era querido e que os acusados frequentavam a casa dela. A equipe do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, conversou com ela durante o velório, nesta quarta-feira (11), em Maracanaú. O crime teria sido de motivação passional.

“Meu filho era uma pessoa muito querida. As amizades que ele tinha demonstravam ter respeito e gostar dele. Mas a gente não sabe o que passa na cabeça desses jovens de hoje. Por que o que esquematizou a morte dele era uma dos que ele tinha como irmão. Ele vinha aqui, frequentava minha casa, os dois saíam com as namoradas juntos”, revelou Maria José.

Há cerca de três meses Kevin havia decidido sair da casa da mãe para trabalhar e praticar esporte. Na academia, local onde trabalhava e também morava, o jovem foi surpreendido por dois homens enquanto deixava o lixo na calçada. Ele entrou, mas acabou alvejado na cabeça.

“O próprio amigo esquematizou a morte dele. Alguns mais próximos dizem que semanas atrás meu filho teria discutido por besteira com esse que esquematizou o crime. O Kevin simplesmente chamou atenção dele porque a namorada malhava e não divulgava a academia onde eles trabalhavam. Então, Kevin chamou atenção e ele ficou chateado. Eles ficaram sem se falar, e o rapaz se incomodava com a presença do Kevin na academia. Aí pediu demissão no sábado”, comentou a mãe.

Carlos Thaison Lopes Alves, de 27 anos, e Alisson Rauan Morais Pereira, 22 anos, foram presos em flagrante. A polícia também suspeita de crime passional, pois o jovem teria um relacionamento amoroso com a mãe de um dos mentores do crime. Os acusados negam o crime, mas entraram em contradição durante depoimento, segundo a polícia. Além disso, não revelaram nome de uma terceira pessoa, o atirador.

“Os dois planejaram. A PM foi ao local do crime, pegou informações de que os dois poderiam estar envolvidos, que um Palio branco teria dado fuga ao homem que atirou e o veículo foi encontrado em frente a casa do Thaison. A PM achou por bem verificar o telefone e notou conversas que comprometiam os dois. Eles foram trazidos à delegacia e a autoridade policial autuou o flagrante. Agora, a polícia tem dez dias para achar o atirador”, disse o inspetor Morais, da Delegacia Metropolitana de Maracanaú..

Nordeste Notícia
Fonte: Tribuna do Ceará