O Flamengo une pressa com precisão para não errar. E pensa em Cuca. O treinador é a bola da vez para substituir Carpegiani. A ideia no clube é ter um novo técnico até o fim da semana, a tempo de dar forma para o time para a partida contra o Santa Fé, no dia 18, pela Libertadores. O técnico aguarda contato. Paralelamente, o Rubro-Negro avalia o auxiliar Maurício Barbieri e não descarta efetivá-lo.

O nome de Cuca, que já teve outras duas passagens pelo clube, não é consenso na Gávea. A ideia partiu do presidente Eduardo Bandeira de Mello e do CEO Fred Luz. O vice de futebol Ricardo Lomba não chega a ser um entusiasta do treinador, mas abraçou a ideia diante do cenário escasso no mercado.

Quem vai assumir a negociação é o novo diretor de futebol, Carlos Noval. E ele tem pressa.

– Não podemos esperar muito, temos esse deadline, pelo menos até o fim da semana temos que ter o nome definido – disse Noval, em sua apresentação, nesta segunda.

Fora do mercado desde outubro, quando deixou o Palmeiras, voltar a trabalhar agora não estava nos planos de Cuca. Ele tem um compromisso com o Grupo Globo para comentar jogos durante a Copa do Mundo. Voltar à Gávea, no entanto, é um antigo desejo do treinador.

Não é uma negociação fácil. O tempo de contrato pode ser um empecilho, uma vez que o Flamengo passará por processo eleitoral no fim do ano. Quem estará à frente é o novo diretor de futebol, Carlos Noval, apresentado nesta segunda.

Salário e pressa afastam Renato; Barbieri é alternativa

Nome de Renato entrou em pauta, mas valores e dificuldades esfriaram qualquer tentantiva de negociação (Foto: Eduardo Moura)
Nome de Renato entrou em pauta, mas valores e dificuldades esfriaram qualquer tentantiva de negociação

Renato Gaúcho entrou em pauta. No entanto, o Flamengo sabe que o salário dele no Grêmio é alto e, para treinar o clube, pediria ainda mais. Além disso, provavelmente seria uma negociação arrastada, o que levou o Flamengo a procurar outras possibilidades. O nome de Jair Ventura foi levantado, mas, como está empregado, o interesse não foi levado adiante.

Efetivar Maurício Barbieri é outra possibilidade, mas a direção considera um risco desnecessário em meio à Libertadores. O auxiliar, de 36 anos, não está descartado caso o clube não tenha sucesso em investidas no mercado.

– Ele é novo, moderno, qualificado para o cargo. Estudou para isso, está em constante evolução. Gosto de quem se envolve em todos os departamentos, e ele se encaixa nesse perfil – disse Noval, sobre Barbieri.

Cuca teve duas rápidas passagens pelo Flamengo. Em 2005, foi contratado em fevereiro, no meio do Campeonato Carioca, não resistiu à eliminação para o Ceará na Copa do Brasil e caiu com menos de três meses no cargo. Voltou em 2009, foi campeão carioca, mas foi demitido no Brasileiro. Até por isso, voltar e ter sucesso na Gávea é o desejo do treinador.

Fonte: Globoesporte.com

Comente com Facebook