Quando se trata de fugir da prisão, os detentos são muito criativos. Mesmo que deixando um familiar em seu lugar, Alexander Jheferson Delgado, condenado a uma pena de 16 anos por Crimes sexuais e furto, drogou o irmão gêmeo com sedativos e escapou da prisão. O detento deixou o irmão na cadeia em seu lugar.

O detento fugiu das instalações em 10 de janeiro de 2017 e só foi recapturado na último segunda-feira, dia 12 de fevereiro. Segundo Alexander, ele queria ver a mãe e, por isso ,trocou de lugar com o irmão.

Como ocorreu a fuga?
Giancarlo Stuard Delgado, irmão gêmeo idêntico de Alexander, foi visitá-lo. Durante a visita, o detento passou um tempo conversando com o irmão na área comum do presídio.

Giancarlo levou comida e cartas de parentes para o irmão preso. Depois Alexander levou o irmão de 28 anos para sua cela, onde lhe ofereceu o que parecia um inocente refrigerante.

A bebida continha fortes sedativos. Com o irmão dopado, Alexander trocou de roupa com ele com a finalidade de enganar a segurança do presídio, que não percebeu a troca. O caso aconteceu no Peru, na prisão de Piedras Gordas.

Horas depois de o detento ter fugido, Giancarlo acordou. Os guardas estavam a sua volta, pois achavam que ele estava desmaiado. Ainda desorientado e sob efeitos do sedativo, ele contou o ocorrido. As autoridades peruanas, a princípio, não acreditaram no fato. A identidade de Giancarlo foi verificada através de suas impressões digitais. Mesmo tendo sido enganado pelo irmão, ele afirmou amá-lo.

Alexander foi condenado por assalto e estupro de um menor. Na ocasião da fuga, faltava ao autor do crime cumprir 14 anos restantes de sua condenação. Segundo informações da mídia peruana, o preso teria dito às autoridades que planejou o esquema “porque estava desesperado” para ver a mãe.

Qual a situação atual do preso?
A ex-ministra do Peru Marisol Pérez Tello, na época, disse que a fuga de Alexander foi “incrível”. O presídio de Piedras Gordas é uma das penitenciárias mais seguras do Peru e em 12 anos não havia registrado fugas de detentos. Uma recompensa no valor de R$ 6.100 chegou a ser oferecida por informações que levassem a captura do fugitivo.

Alexander será encaminhado ao presídio de segurança máxima em Challapalca, uma prisão andina localizada a cerca de 16 mil pés acima do nível do mar, destinada a prisioneiros peruanos, que oferecem alto risco a sociedade. O irmão Giancarlo foi autuado pela Polícia do Peru e será investigado por suspeita de ter compactuado na fuga de seu gêmeo. Porém, ele responderá em liberdade.

Nordeste Notícia
Fonte: Massape Ceara