(Foto: Julio Caeser/O POVO)

A lua deveria ter começado a aparecer pelo fim da tarde, mas por esse horário a atração principal era mesmo o pôr do sol. A superlua só veio dar as caras por volta das 18h20min, impressionando os visitantes da Praia de Iracema, que rapidamente começaram a levantar seus celulares para tirar fotos. O evento em si não é tão raro, mas é bonito de se ver. A raridade está na combinação de fenômenos lunares que acontece nesta quarta-feira, 31. Em alguns lugares do mundo, é possível observar também a lua de sangue e a lua azul, o que não acontecia há 150 anos.

“Toda vez que tem alguma coisa na lua a gente vem pra cá, ficou meio que uma tradição”, conta a estudante Rebeca Jéssica, 24, que foi com um grupo de amigas para a areia da praia logo cedo para esperar o fenômeno. “É legal reunir os amigos na praia para ver a lua, é uma coisa bacana sair do cotidiano”, justifica a estudante Regiane Teixeira, 24.

A superlua acontece devido à órbita desse astro não ser circular, mas sim elíptica. Em alguns momentos,ele se encontra mais perto ou mais distante do planeta (os chamados apogeu e perigeu, respectivamente). Quando a lua se encontra em perigeu, ela se mostra maior e mais brilhante para quem a observa da Terra, ganhando esse nome. Especialistas apontam que a lua pode ficar até 14% maior e mais brilhante nesses períodos.

“Tudo da natureza tem esse ar especial”, acredita o instrutor Gabriel Miranda, 20, que decidiu ir à praia só para ver a lua. Ele diz que tem interesse nesse tipo de fenômeno e procura assistir sempre que descobre. A artesã Rafaela Silva, 32, expressa o sentimento de muitos ao ver o astro. “Não é toda vez que você ver ela cheia, bonita. É mágico, né?”.

Nordeste Notícia
Fonte: O Povo