A quadrilha criava documentos de pessoas fictícias e solicitava o benefício de aposentadoria por idade. A “atuação” perante profissionais da Previdência Social era feita por idosos trazidos do Pará para o Ceará, com recompensa de R$ 500, em média, conforme informado pela PF.
Os “idosos figurantes” já haviam sido presos em flagrante por crime de falsa identidade, em várias ocasiões. Posteriormente, a Polícia associou os inquéritos e chegou ao grupo.
Operação
Recebendo mensalmente dezenas de aposentadorias, o grupo comprou imóveis, carros e bens de luxo. Durante as buscas, foram apreendidos R$ 30 mil em espécie, uma coleção de relógios, inúmeros documentos de identidade falsos e mais de 20 cartões de benefícios previdenciários em nome de pessoas fictícias.
Mais de 20 cartões estavam em posse da quadrilha (Foto: Divulgação/PF)
Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão, sendo dois no bairro Aldeota, em Fortaleza, e um em Belém (PA), expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal no Ceará. O chefe da quadrilha foi preso ainda nesta quarta, 10.
De acordo com o delegado Cid Saboia, chefe em exercício da Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários (Deleprev), as investigações continuam pois “é possível que existam outros envolvidos”.
A identidade dos envolvidos, porém, não foi divulgada pela PF. Eles vão responder por estelionato previdenciário, falsificação de documentos, uso de documentos falsos, associação criminosa e lavagem de dinheiro.
Nordeste Notícia
Fonte: O Povo/Lucas Braga