O primeiro vice-presidente do Independiente, Noray Nakis, e 21 torcedores violentos foram presos nesta quinta-feira, acusados de integrar uma quadrilha comandada por Pablo Álvarez, líder de uma das “barra bravas” do clube.

Fontes da Polícia informaram à Agência Efe que Nakis foi preso às 2h locais de hoje (4h em Brasília), quando os agentes invadiram seu apartamento em Buenos Aires.

A operação também ocorreu na cidade de Moreno, na província de Buenos Aires, onde 21 torcedores violentos do Independiente foram presos. Dois agentes foram baleados na ação. Em buscas nos apartamentos deles, a Polícia encontrou dinheiro e armas. Entre os presos estão homens próximos a Nakis e ao presidente do clube, Hugo Moyano, como o guarda-costas Roberto Petrov.

O caso começou com uma denúncia do titular da Agência para a Prevenção da Violência no Esporte (Aprevide), Juan Manuel Lugones. O juiz Gabriel Vitale ouvirá Nakis e os outros 21 presos nas próximas horas como acusados de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

O juiz tenta esclarecer se Álvez, que está detido na penitenciária Melchor Romero, é o líder da quadrilha. A promotora Viviana Giorgi afirma que os presos “estabeleceram uma associação com fins delitivos, destinada principalmente ao cometimento de atos de violência física e de intimidações contra torcedores do futebol, autoridades de órgãos estatais e privados encarregados da segurança dos eventos esportivos”.

Antes de ser dirigente do Independiente, Nakys foi presidente do Deportivo Armenio, da quarta divisão do futebol do país.

“Eles são acusados de vários crimes relacionados ao futebol, como venda de ingressos e obtenção de dinheiro ilegal. A Justiça já vai falar sobre isso, que isso é uma formação de quadrilha”, disse a ministra de Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Fonte: Espn.com