A “novidade” está sendo vendida por ambulantes e em lojas no Centro de Fortaleza

O monitoramento eletrônico de presos da Justiça cearense parece não ser levado mesmo a sério pelos criminosos. Além da  ausência de fiscalização que deveria ser feita sobre aqueles que deixam a cadeia usando o equipamento, os detentos que cumprem medidas cautelares ou liberdade provisória conseguem facilmente driblar o sistema e até  se desfazer do aparelho. Mas agora, eles também podem disfarçar ou “embelezar” a famosa tornozeleira.

No Centro de Fortaleza, vendedores ambulantes estão vendendo capas para serem usadas pelos detentos. São semelhantes àquelas colocadas em celulares. Tem para todo o gosto, com estampas, cores e personagens de filmes, desenho animado e outros.

Já no dia a dia, os presidiários que usam os aparelhos não são mesmo monitorados. Diariamente há registros de bandidos praticando crimes, ou mesmo sendo mortos, enquanto estão com as tornozeleiras.

Segundo dados constantes do último boletim sobre gestão penitenciária do estado, publicado no site da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus), atualmente 1.696 presidiários usam o aparelho no Ceará. Desse total, 88 são considerados foragidos do Sistema. Outros 66 estão nas ruas com os aparelhos devido à progressão de regime (do fechado para o semiaberto).

Nordeste Notícia com Informação Fernando Ribeiro