Tudo começou com uma visita ao Estádio Alcides Santos, onde iria rever o ex-companheiro de clube, Bosco Chaves, treinador de goleiros do Fortaleza. E a visita que era de apenas cortesia, se transformou em algo mais sério, com o crescente interesse do Leão do Pici em trazer para suas cores o ídolo do São Paulo, Rogério Ceni, hoje técnico.

De lá para cá, os laços foram se estreitando, apesar da negativa dos dirigentes e do próprio Bosco, até a revelação oficial.

Na última terça-feira (7/11), o atual presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, retribuiu a visita de Rogério Ceni, em São Paulo, quando oficializou a proposta e ontem à tarde, o presidente do Leão já estava no Pici de volta.

Antes mesmo de o dirigente retornar de São Paulo, o clube já divulgava uma nota oficial, onde confirmava o interesse pelo ídolo Rogério Ceni. Na mesma nota, o clube oficializou a proposta para o ex-goleiro tricolor.

“O presidente Marcelo Paz esteve em São Paulo para conversar sobre os planos do Fortaleza Esporte Clube para 2018, tendo bom alinhamento e afinidade de ideias e projetos”, diz parte da nota do clube.

Peso do nome

No ano do seu centenário, o Fortaleza quer sacudir a torcida com a vinda de um nome de peso para dirigir a equipe no Campeonato Cearense e na Série B como disse Marcelo Paz, já no seu regresso de São Paulo: “”Eu estive em São Paulo e conversei por mais de quatro horas com o Rogério. Foi uma con versa muito boa, muito agradável, franca, tranquila e a gente apresentou uma ideia de um plano de trabalho de um projeto com o Rogério. De poder contar com ele aqui no Fortaleza e resolvemos oficializar para a imprensa de todo o país, porque a gente tem que trabalhar com transparência e verdade com o nosso torcedor”, disse Marcelo Paz, em entrevista à ESPN Brasil, no início da noite de ontem.

A diretoria do Fortaleza entende que a vinda de Rogério Ceni é um grande desafio na carreira do profissional: “Ele sempre morou em São Paulo, tem filhos em idade escolar e isso também representa um desafio para que ele possa se adaptar”, disse o presidente do Tricolor do Pici.

Elenco

O presidente do Fortaleza também respondeu a questões sobre o elenco do time para 2018, quando disse que haverá mudanças para o ano que vem: “Independentemente do treinador que viria, nós já iríamos fazer uma reformulação no elenco. Nós tratamos para técnico, apenas com o Rogério, que é o nosso objetivo, mas o elenco vai ser reformulado, mudado, para encarar uma competição de um nível maior, de uma quantidade de jogos maior, de uma intensidade de jogo maior, são mais viagens, mais deslocamentos, então naturalmente, a gente vai fazer um elenco mais competitivo, dentro do nosso orçamento”, completou o dirigente.

Rogério Ceni tem o perfil que agrada à diretoria do Fortaleza, segundo seus dirigentes, embora ainda esteja com pouca experiência dirigindo equipe profissional. Mas, esse parece não ser um embaraço para o Tricolor do Pici: “O Rogério tem o nosso perfil, porque é um treinador estudioso, jovem, esteve na Europa, na Inglaterra, aprendendo conceitos táticos, como jogador foi um grande vencedor, um líder, então é um exemplo com perfil de liderança”, disse Marcelo.

As qualidades de Ceni como gestor de pessoas foi também elogiada pelo presidente do Leão do Pici.

Recursos

Uma questão que se levanta é a questão de recursos, como se bancar um treinador de início de carreira, mas um ídolo do porte de Rogério Ceni: “O clube passou por dificuldades no início do ano, mas quando o presidente Luís Eduardo Girão assumiu, regularizou todas as pendências, todo o nosso elenco está rigorosamente em dia, inclusive as premiações pelo acesso, chegada à final da Série C. Os atletas que estão rescindindo contrato estão recebendo também”, revelou Marcelo Paz. O dirigente disse que, sem dúvida, com a chegada de Rogério Ceni será possível capitalizar mais recursos, inclusive com o sócio-torcedor, para que o projeto possa ter seguimento, afora receitas da Série B e patrocínios de Prefeitura e Estado.

Nordeste Notícia
fonte: Diário do Nordeste/Ivan Bezerra