A classificação do Grêmio para a decisão da Libertadores ficou marcada por um lance no jogo de ida da semifinal contra o Barcelona: a impressionante defesa de Marcelo Grohe na conclusão à queima de roupa de Ariel na pequena área. Convidado do programa “Bem, Amigos” nesta segunda-feira, o goleiro do Tricolor gaúcho foi homenegeado com um diploma pela “melhor defesa do século 21”.

– Agradeço a homenagem, quero dividir com a minha família, com o pessoal do Grêmio, professor Rogério, professor Ênio, preparadores que trabalham diariamente comigo. São grandes profissionais. Ali seria 2 a 1 e tinha bastante gente no estádio, estava lotado, certamente teria muita pressão. E logo em seguida o Luan faz o terceiro gol e aí praticamente liquida (a partida) – afirmou o goleiro.

Narrador da partida no Equador, Galvão Bueno destacou a importância do “milagre” do arqueiro gremista, que classificou de “monumental” no momento da locução.

– A defesa teve importância fundamental. O Grêmio fez 1 a 0 , fez 2 a 0, mas se essa bola entra, incendiava o jogo. Seria 2 a 1. Ele faz a defesa, o Grêmio vai para o ataque, faz 3 a 0 e acaba com o jogo, acaba com a semifinal.

Caio Ribeiro defendeu que a defesa de Grohe seja eternizada com uma estátua.

– Acho que o Marcelo merecia não só uma placa, mas uma estátua até em homenagem à escola de goleiros que o Grêmio já teve. Tive a oportunidade de jogar com o Danrlei, que é um ídolo, teve o Mazzaropi…Mas uma defesa como essa tem que ser eternizada. O Grêmio deveria fazer algum tipo de homenagem porque a defesa foi espetacular.

Grohe lembrou que as luvas que usou na partida foram solicitadas pela diretoria para que sejam expostas no museu do clube.

Fonte: Sportv.com