Os ex-governadores do do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho foram presos na manhã desta quarta-feira (22) pela Polícia Federal. O casal, filiado ao PR, é acusado de integrar uma organização criminosa que atuava arrecadando recursos de forma ilícita com empresários para financiar as campanhas deles e de aliados. Além dos dois, outras seis pessoas são investigadas pelos crimes, que incluem a prática de extorsão.

Parte das informações que levaram à prisão foi relatada na delação de Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais da JBS. Em depoimento à PF ele disse que repassou R$ 2,6 milhões à campanha de Garotinho ao governo do estado em 2014, via caixa dois. A prisão é preventiva, sem prazo.

De acordo com Saud, o dinheiro era parte de um montante de R$ 20 milhões usados para a empresa comprar o apoio do PR ao PT na eleição daquele ano. O valor seria uma “poupança” pelso benefícios irregulares conquistados pela JBS, como linhas de crédito junto ao BNDES.

Garotinho e Rosinha também são acusados de corrupção passiva, extorsão, lavagem de dinheiro e crime eleitoral por omitir as doações nas prestações de contas.

O ex-ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues, presidente nacional do PR, também é alvo de mandado de prisão. Segundo as investigações, ele intermediou o repasse ilícito.

Nordeste Notícia
fonte: Diário do Nordeste