Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro em todo o país. A data homenageia o Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695.

O objetivo do Dia da Consciência Negra é fazer uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira.

A sociologia, a política, a religião e a gastronomia entre várias outras áreas foram profundamente influenciadas pela cultura negra. Este é um dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira.

Feriado do Dia Nacional da Consciência Negra

Confira os estados que consideram o Dia Nacional da Consciência Negra como feriado estadual:

  • Alagoas – Todos os municípios, Lei Estadual Nº 5.724/95
  • Amazonas – Todos os municípios, Lei nº 84/2010
  • Amapá – Todos os municípios, Lei Estadual Nº 1169/2007
  • Bahia – 3 municípios
  • Espírito Santo – 2 municípios
  • Goiás – 4 municípios
  • Maranhão – 1 município (Pedreiras)
  • Minas Gerais – 11 municípios
  • Mato Grosso do Sul – 1 município (Corumbá)
  • Mato Grosso – Todos os municípios, Lei Estadual Nº 7879/2002
  • Paraná – 3 municípios
  • Rio de Janeiro – Todos os municípios, Lei Estadual Nº 4007/2002
  • Rio Grande do Sul – Todos os municípios – facultativo, Lei Estadual nº 8.352
  • São Paulo – 102 municípios
  • Tocantins – 1 município (Porto Nacional).

Origem do Dia Nacional da Consciência Negra

O Dia da Consciência Negra foi estabelecido pelo projeto Lei nº 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, apenas em 2011 a presidente Dilma Roussef sancionou a Lei 12.519/2011 que cria a data, sem obrigatoriedade de feriado.

No entanto, atualmente, o Dia Nacional da Consciência Negra é considerado feriado no Estado do Ceará e em mais de mil municípios

História de Zumbi

No período do Brasil colonial, Zumbi simbolizou a luta do negro contra a escravidão que sofriam os brasileiros de etnia negra. Zumbi morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo.

Os quilombos, liderados por Zumbi, formavam a resistência ao sistema escravocrata que vigorava, e eram os principais responsáveis pela preservação da cultura africana no Brasil.

Zumbi lutou até a morte contra a escravidão, que só viria em 1888, com a abolição oficial da escravatura no Brasil, cerca de 193 anos após sua morte.