Ele voltou! Para o bem e alívio do Vasco, Nenê voltou. Destaque absoluto do time campeão carioca e que igualou a maior série invicta da história do clube, o meia-atacante estava apagado, sumido, e, não por coincidência, a equipe viveu dias turbulentos. Há uma semana, porém, o camisa 10 reencontrou o futebol em alto nível do primeiro semestre e, ao lado de Thalles, é figura determinante para que o Cruz-Maltino esteja tão próximo do acesso à Série A.

Com três assistências e um gol nas últimas três partidas, Nenê voltou a demonstrar a performance que ele mesmo admitiu ter deixado o torcedor “mal-acostumado”. O passe para Thalles abrir o placar na vitória por 2 a 1 sobre o Bragantino, sábado, foi o 18º para gol na temporada. Só Arrascaeta, do Cruzeiro, deu tantas assistências quanto ele no futebol brasileiro em 2016. Estatística do Twitter @goleada_info corrobora ainda a defesa do camisa 10 durante o jejum de gols: de que sempre foi mais garçom do que goleador.

A característica, porém, não o impede de ser também o artilheiro do Vasco na temporada. O pênalti convertido em Bragança Paulista significou o 21º gol de Nenê em 2016, o que o coloca como responsável direto em 39 das 94 vezes que o time foi às redes na temporada – 41% de participação.

O gol colocou ainda um ponto final no jejum de oito partidas, desde o duelo com o Santos, pela Copa do Brasil, e de dez contando apenas a Série B. Com 13, o vascaíno volta para briga pela artilharia da competição, empatado com Felipe Garcia, do Brasil de Pelotas, e um atrás de Bill, do Ceará.

Apesar do destaque individual, Nenê preferiu valorizar o feito coletivo com o triunfo sobre o Bragantino. Agora, o Vasco está bem próximo de carimbar o acesso sábado, diante do Criciúma, fora de casa, apesar de já ter perdido o título da Segunda Divisão para o Atlético-GO.

– Frisamos a semana toda que precisávamos muito dos três pontos. Se tomássemos o gol, não poderíamos nos desestruturar. Faltava confiança. Foi dessa maneira a vitória. O apoio da torcida foi fundamental.

Jorginho, por sua vez, ressaltou a importância de seu camisa 10 na volta por cima do Vasco após uma semana de muita pressão:

– É um jogador de uma qualidade técnica que conhecemos muito bem, é um dos melhores da equipe. Tem essa liderança técnica e, ao mesmo tempo, um carisma muito grande com a torcida. Caiu nas graças do torcedor. É um jogador que faz a diferença no momento certo.

Nascido em Jundiaí, Nenê ficou no interior de São Paulo no domingo de folga do Vasco, antes de retornar para iniciar os treinamentos visando o duelo com o Criciúma, sábado, às 16h30 (de Brasília), no Heriberto Hulse, pela 37ª rodada. Vice-líder, com 62 pontos, o Cruz-Maltino precisa de somente mais dois para voltar à Série A sem depender de outros resultados.

Fonte: G1.com